Estudo mostra como as organizações equilibram inovação, resposta a ataques cibernéticos e lacunas de habilidades na pandemia

0
63

A VIAVI Solutions divulga os resultados do seu 14º estudo global anual State of the Network sobre redes empresariais e desafios de segurança. Como a pandemia da covid-19 forçou uma redefinição global de como nos reunimos e trabalhamos, a pesquisa traz informações importantes sobre como as organizações estão se adaptando. Sessenta por cento dos entrevistados espera um aumento nos gastos para implantar novas tecnologias em 2021, incluindo o SD-WAN (62%), 5G privado (52%) e operações de IA (45%) – dando suporte a um aumento no uso de unified communications (UC) e ferramentas de colaboração, gastando mais tempo na detecção e correção de ameaças à segurança e avaliando a lacuna de habilidades.

Apesar dos desafios de 2020, a pesquisa revela que os times de TI se adaptaram para gerenciar a experiência do usuário final no desafio de trabalhar de casa. Os entrevistados agora relatam gastar pelo menos 10 horas por semana abordando questões relacionadas a UC e ferramentas de colaboração como WebEx, Microsoft Teams e Zoom. A importância do acesso à rede e aos aplicativos nunca foi tão crítica, principalmente porque algumas organizações buscam estender o trabalho remoto indefinidamente.

O desafio de solucionar problemas de UC e outras aplicações também foi agravado por uma crescente lacuna de habilidades. Na verdade, o principal desafio de solução de problemas de aplicativos para os entrevistados, era a falta de conhecimento necessário para resolver questões de desempenho. Essa lacuna foi mais aguda entre organizações com menos de US$ 2 bilhões em receita, com mais de 90% das empresas de médio porte citando dificuldade em atrair candidatos para ajudá-las a acompanhar o ritmo da inovação tecnológica.

"O ano passado foi transformador para as empresas, à medida que as equipes de TI se adaptaram à tarefa de manter a entrega de serviços sem problemas e a experiência ideal do usuário final, apesar das interrupções relacionadas à pandemia", disse Charles Thompson, Vice-Presidente e Gerente Geral de Empresas e Nuvem da VIAVI. "No entanto, os desafios não desapareceram, como demonstra o estudo State of the Network deste ano. Uma lacuna cada vez maior de habilidades está criando um obstáculo para a solução de problemas mais difícil do que qualquer problema técnico, mesmo com as equipes do NetOps gastando mais tempo do que nunca lidando com questões de segurança cada vez maiores".

"Nossa pesquisa mostrou que a lacuna de habilidades é real, estejam as equipes de rede trabalhando com tecnologia legada ou soluções de próxima geração", disse Shamus McGillicuddy, Vice-Presidente de Pesquisa e Gerenciamento de Rede da Enterprise Management Associates. "Existem maneiras de mitigar essa lacuna. As organizações de TI podem adotar ferramentas de gerenciamento de rede com fluxos de trabalho baseados em funções que visam capacitar administradores de nível inferior para assumir tarefas normalmente reservadas para usuários avançados. Outra opção é adotar ferramentas de automação de rede que podem reduzir os fluxos de trabalho para engenheiros qualificados ou permitir que eles deleguem mais tarefas aos administradores".

Descobertas Adicionais da Pesquisa

• As organizações adotaram a nuvem quando se trata de hospedar aplicativos críticos, citando a "maior disponibilidade e confiabilidade do serviço" como o principal motivo para a migração.

• As equipes de TI continuam comprometidas com a implantação de redes de alta velocidade. Mais de 90% irão implantar 100 Gigabit Ethernet (100 GbE) durante os próximos três anos, enquanto 80% estão planejando implantar 400 GbE.
• 87% dos times de operações de rede (NetOps) estão agora envolvidos em detecção e resolução de ameaças de segurança – um aumento de mais de 25% comparado ao ano passado.

• 51% relataram que as suas organizações foram afetadas pelo grande ataque cibernético SUNBURST.
Principais aprendizados para equipes de TI

• Encontrar e reter talentos qualificados está atrapalhando os esforços para solucionar problemas de aplicativos. Aproximadamente metade dos entrevistados observou que a automação da rede ajuda a liberar a equipe de TI para se concentrar em iniciativas estratégicas e impulsionar a inovação nos negócios. Por exemplo, o monitoramento de rede automatizado pode ajudar a aliviar a falta de técnicos treinados.

• Os executivos devem estar cientes de que agrupar NetOps, SecOps e DevOps em salas de guerra de TI convencionais, afeta a capacidade de cumprir prazos para projetos importantes. Embora as salas de guerra possam ser inevitáveis para resolver graves escalonamentos de desempenho e segurança, sua frequência pode ser reduzida com ferramentas e fluxos de trabalho que facilitam a colaboração entre silos por meio de fontes de dados compartilhadas.

• Pode ser fútil tentar fugir totalmente de um grande incidente global como o SUNBURST. As equipes de TI podem se preparar para ataques futuros com ferramentas de monitoramento de rede que capturam dados forenses com total fidelidade e admissíveis no tribunal. Isso acelera a detecção e a remediação de ameaças, ajudando a limitar os dados roubados, reduzir os custos legais e multas regulatórias e reduzir ao mínimo os danos à reputação.

Deixe seu comentário