Itaú inaugura espaço voltado a apoiar empreendedorismo digital e projetos de inovação

0
52

O Itaú Unibanco e a Redpoint e.ventures inauguraram oficialmente nesta quinta-feira, 10, o espaço Cubo Coworking, uma iniciativa conjunta, sem fins lucrativos, voltada para incentivar a inovação e o empreendedorismo digital no país, localizado em um prédio no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo, que além de startups envolve instituições e grandes empresas, como Cisco, Accenture e Ambev.

Segundo Marcio Schettini, diretor-geral de tecnologia e operações do Itaú Unibanco, e Anderson Thees, sócio-fundador da Redpoint e.ventures, a ideia é que o Cubo sirva como um polo de atração do sistema empreendedor e funcione como um ponto focal para apoiar os interessados.

Fazendo alusão ao Vale do Silício, em San Francisco, na Califórnia, os executivos explicaram que a densidade de profissionais, empresas, universidades e investidores é um dos motivos do sucesso da inovação produzida no local. "São Paulo é considerada o mais importante polo inovador do Brasil. Mas por ser uma cidade muito extensa geograficamente não facilita essa concentração. O Cubo pretende realizar a missão de reunir as pessoas ou fornecer condições para conectá-las, por exemplo, por meio de uma conferência via web com locais mais distantes'', explicaram.

Cubo_arte da fachada_1Itau

"O Cubo vai desempenhar um papel importante no ecossistema brasileiro de startups, promovendo o networking e o compartilhamento de ideias entre seus diversos participantes. Tudo isso de uma forma natural, espontânea e construtiva. É uma característica marcante do Vale do Silício que queremos alavancar por aqui", enfatiza Thess.

A seleção das startups que já fazem parte do projeto não considerou uma área de interesse específico, nem mesmo o Itaú fez qualquer exigência ou direcionamento quanto a isso, embora boa parte dos projetos tenham como foco a chamada terceira plataforma (mobile) e internet das coisas.

Parceiros do projeto

A  Accenture vai inaugurar sua Garagem Digital no Cubo, onde trará o que existe de mais moderno em tecnologia e inovação, além de prestar mentoria para startups que frequentarem o local. A Garagem Digital também servirá para a disseminação de conhecimento, com a realização de uma extensa programação de palestras ao longo dos próximos meses.

Segundo Rodolfo Eschenbach, diretor gerente da Accenture Digital, a consultoria criou uma área específica de inovação com objetivo de apoiar a transformação digital de seus clientes, a maioria grandes companhias, tendo inclusive nos últimos dois anos adquirido empresas com foco em analytics, design. "Estar no Cubo nos possibilita conhecer, apoiar e fomentar novas ideias, que possam ser aproveitadas por nossos clientes", explica.

A Cisco, por sua vez, pretende promover o uso de sua plataforma de internet de todas as coisas (IoE) e a colaboração do Centro de Inovação IoE da Cisco Rio de Janeiro, propiciando uma  integração tecnológica e ajuda na construção de um ecossistema para que as empresas do Cubo.

A Ambev pretende reconhecer e apoiar ideias inovadoras que fomentem o empreendedorismo, através de visitas constantes às startups para conhecer as ideias, organizar hackathons e incentivar os participantes a encontrarem soluções tecnológicas que ajudem o negócio.

Entidades participantes

A Associação Brasileira de Startups (ABStartups) anunciou que irá realizar o primeiro Censo Brasileiro de Startups, em parceria com o Sebreae, Cubo, Dínamo e Start-up Brasil, que terá o objetivo de mapear o perfil e evolução dessas empresas no Brasil para nortear tomadores de decisões que desejam trabalhar de alguma forma com startups.

Para isso, a ABStartups anunciou uma grande integração com o CrunchBase, plataforma do portal TechCrunch, que desde 2007 se tornou a maior base de dados de startups e investimentos do mundo.

"Queremos fortalecer o maior banco de dados de startups do país com grandes parcerias e realizar a cada dois anos, em conjunto com diversos parceiros, um levantamento profundo sobre o perfil das startups brasileiras para mensurarmos nosso impacto e ter guidelines para todos os agentes do ecossistema desenvolverem projetos e ações para essas empresas", explica Amure Pinho, vice-presidente da ABStartups Pinho.

Outra parceria com o Cubo está sendo estruturada pelo governo de Ontário no Canadá, através do Mars, um centro de inovação tecnológica, que tem um interesse em fomentar as chamadas "fintechs",  startups focadas no mercado financeiro. Segundo, Todd Barrett, cônsul comercial de Ontário no Brasil, a cidade tem um setor de serviços que movimenta US$ 51,8 bilhões ao ano e empresas de TI que geram receitas de US$ 30,5 bilhões. "Portanto nada mais natural que esses dois setores se reunissem para criar inovações no setor."

Deixe seu comentário