Gastos com TI cairão 7,3% este ano, mas retomada será rápida, diz Gartner

0
0

O Gartner prevê que os gastos mundiais com TI totalizem US$ 3,5 trilhões em 2020, uma queda de 7,3% em relação a 2019, de acordo com a última previsão da consultoria. A estimativa, no entanto, é de que a recuperação do setor seja mais rápida do que a economia como um todo.

"Ainda se espera que os gastos gerais com TI diminuam acentuadamente em 2020", diz John-David Lovelock, vice-presidente de pesquisa da Gartner. "As empresas não podem retornar aos processos de compras interrompidos pela pandemia da covid-19 devido a queda do fluxo de caixa.

"Dos cinemas aos bancos, a covid-19 está forçando todas as organizações a serem criativas e se manterem ativas sem oferecer exclusivamente experiências físicas. Por outro lado, os CIOs, com menos dinheiro disponível, devem acelerar o plano de digitalização desenhado no início de 2020", reforça.

Segundo Lovelock, todos os segmentos de tecnologia registrarão queda de receita em 2020. A área mais atingida será a de dispositivos, com queda de 16,1% no ano. Trabalhar em casa causou um aumento temporário na compra de dispositivos, à medida que as empresas implementavam os planos de continuidade de negócios para a covid- 19, mas não se espera uma retomada rápida dos gastos corporativos com dispositivos aos níveis de 2019.
 
Previsão mundial de gastos com TI (milhões de dólares americanos)
 
  2019 Spending   2019 Growth (%)   2020 Spending   2020 Growth (%)   2021 Spending   2021 Growth (%)  
Data Center Systems 210,053 0.6 188,365 -10.3 200,094 6.2
Enterprise Software 476,687 11.7 449,506 -5.7 482,666 7.4
Devices 711,525 -0.3 596,914 -16.1 611,303 2.4
IT Services 1,040,263 4.8 969,438 -6.8 1,023,179 5.5
Communications Services 1,372,236 -0.6 1,326,492 -3.3 1,366,419 3.0
Overall IT 3,810,764 2.3 3,530,714 -7.3 3,683,661 4.3

Fonte: Gartner (julho de 2020)

O Gartner vê a resposta à pandemia em três fases e, quando as empresas entrarem na segunda fase – Recuperar – elas terão um estoque de projetos de TI e menos dinheiro para usá-los. Como resultado, os CIOs gravitarão em gastos com produtos de assinatura e serviços em nuvem para reduzir os custos iniciais. A infraestrutura como serviço (IaaS) deve crescer 13,4%, para US$ 50,4 bilhões em 2020, e 27,6% para US$ 64,3 bilhões em 2021.

Os requisitos contínuos de colaboração no local de trabalho estimularão gastos sustentados do usuário final em conferências baseadas em nuvem, cujo crescimento projetado e de 46,7% este ano, de acordo com a última previsão.

"Com o alívio das restrições de bloqueio, muitas empresas voltarão em breve a um nível mais alto de segurança de receita, permitindo que algumas um pouco mais de flexibilidade nos fluxos de caixa, o que deve permitir que CIOs voltem a gastar com TI", disse Lovelock. "No entanto, esta pausa e reinicialização impulsionará o crescimento entre 2020 e 2021. A recuperação" rápida "dos gastos com TI de primeira linha oculta uma recuperação muito turbulenta em alguns países, indústrias e mercados", ressalta.

Deixe seu comentário