Mastercard estuda utilizar blockchain para evitar fraudes

0
1

No painel "Blockchain: Desafios Mundiais" realizado nesta quarta-feira, 13, no CIAB FEBRABAN 2018, Kiran Minnas, vice-presidente da WIPRO Digital, expôs a iniciativa de blockchain da Mastercard, que tem planos de usar o sistema para acabar com as fraudes.

Para isso, a empresa estuda criar um modelo de blockchain semi-privado, onde apenas os usuários de cartões com a bandeira da empresa poderão ter acesso. Dessa forma, Minnas explicou que seria possível rastrear as operações, autenticá-las e prevenir fraudes.

O executivo também ilustrou o painel com outros casos de uso de blockchain, como o da bolsa de valores australiana, que quer lançar uma plataforma de corretagem com base na tecnologia até 2020. Também lembrou da Cloud Logistics, empresa de logística que quer criar uma blockchain pública de alcance global e permitir que qualquer um possa colocar seus produtos para serem rastreados dentro de uma cadeia de distribuição.

Segundo Minnas, cada um destes projetos tem seus próprios desafios, mas, em geral, eles deverão lidar com a escalabilidade, robustez e rede para processar as informações. Ou seja, há um custo operacional para lidar com eles. "Além disso, a segurança também preocupa, porque teremos que lidar com a distribuição das chaves de acesso", comenta o executivo. A regulação e os riscos também são uma discussão frequente, mas há espaço para colher benefícios."

Deixe seu comentário