Internet brasileira fica 15% mais rápida, mas país ainda é o 80º na média global

0
12

A velocidade média de conexão à internet no Brasil ficou em 2,4 Mbps entre abril e junho deste ano, o que coloca o país em 80º no ranking, cuja média global é 3,3 Mbps. Mesmo com a colocação ruim, o acesso ficou 15% mais rápido em relação a igual período do ano passado. Na América Latina, a média variou de 3,6 Mbps, na Argentina, a 2 Mbps, no México, a 0,9 Mbps, e na Bolívia, único país com taxa inferior a 1 Mbps. 

Um total de 129 países ou regiões registrou aumento de velocidade média de conexão, variando entre 0,1% na Bulgária (6,7 Mbps) a 93% no Sudão (2,1 Mbps). Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o crescimento foi de 9,2%, com nove dos dez países com maior evolução apresentando crescimento de mais de 10%. Em todo o mundo, 127 regiões ou países tiveram crescimento em suas velocidades médias de conexão. 

No que diz respeito à média de picos de conexão, o Brasil atingiu 18,7 Mbps, crescimento de 25% em relação a 2012, ficando na 71ª posição no comparativo entre os 129 países. Muito distante de Hong Kong, que apresentou o pico mais elevado, com 65,1 Mbps.

Os números foram divulgados nesta quarta-feira pela Akamai, fornecedora de soluções de aceleração e segurança para a internet. O estudo considera países que tenham mais de 25 mil endereços IP conectados à rede da companhia e também segmenta a análise por regiões – Américas, Ásia-Pacífico e EMEA (Europa, Oriente Médio e África). 

O relatório verificou que nas Américas apenas cinco países trafegam a uma velocidade superior a 10 Mbps (alta banda larga): EUA (com taxa de adoção de 24%), Canadá (20%), México (1%), Brasil (0,7%) e Argentina (0,4%).

Em relação às conexões de banda larga (entre 4 Mbps e 10 Mbps), destacam-se Canadá e EUA, com 80% e 72%, respectivamente. Dentre os outros países que se encaixam no perfil analisado, a adoção varia de 25%, no México, a 1,6% na Venezuela. O Brasil apresenta adoção de 15%, crescimento de 24% em relação ao último trimestre e de 30% se comparado ao último período de um ano. 

"A partir do relatório é possível perceber que metade de todas as conexões que trafegaram em nossa plataforma ocorreram em velocidades superiores a 4 Mbps, o que representa um aumento de 25% desde o primeiro trimestre de 2012. Também registramos um declínio no número de países/regiões com velocidade média de conexão inferior a 1 Mbps", afirma Jonas Silva, diretor de Canais e Programas da Akamai para América Latina. 

Banda larga móvel

A média de velocidade de conexão dos provedores móveis analisados variou de 9,7 Mbps até 0,5 Mbps, no período. Onze deles mostraram velocidade média na faixa de banda larga (4 Mbps) e outros 62 entregaram conexão média entre 1 e 4 Mbps. No Brasil, a velocidade média foi de 1,3 Mbps.

No que diz respeito ao uso de browsers, o relatório identificou que cerca de 38% dos pedidos de redes de celular vieram do Android Webkit e 34% foram originados do Apple Mobile Safari. A conclusão é outra quando todas as redes móveis — não só as de celulares — são adicionadas na análise, com cerca de 54% de pedidos originados via Apple Mobile Safari e 27,6% provenientes de Android Webkit.

Deixe seu comentário