Softex firma acordo de cooperação técnica com Microsoft e Governo Federal no projeto Escola do Trabalhador

0
20

A Softex será responsável pela gestão dos cursos de capacitação tecnológica da Escola do Trabalhador 4.0, programa desenvolvido pelo Ministério da Economia. A iniciativa faz parte do Microsoft Mais Brasil, formado por um conjunto de ações de uma das maiores empresas do mundo em valor de mercado voltadas ao desenvolvimento econômico e à geração de emprego no Brasil.

O projeto Escola do Trabalhador 4.0, uma plataforma de ensino remoto desenvolvida pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME) em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI),  inclui cursos da Microsoft por meio da ferramenta Microsoft Community Training e será implementada em parceria com a  Softex com o objetivo de capacitar aproximadamente 5,5 milhões de jovens e adultos de todo o país até 2023.

A participação da Microsoft visa oferecer orientação personalizada de 315 mil cidadãos desempregados ou em situação de vulnerabilidade e integra o plano de expansão da Softex na área de inovação e negócios. Desenvolvida pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME) a plataforma de ensino remoto Escola do Trabalhador oferecerá 20 cursos profissionalizantes de tecnologia. Eles vão desde alfabetização digital até módulos mais avançados de computação em nuvem, inteligência artificial (IA) e ciência de dados.

A Softex, parceira da Microsoft em outros programas, cuidará das atividades relacionadas aos cursos de tecnologia da plataforma, entre elas a curadoria de conteúdo, publicações dos cursos e acompanhamento dos alunos. O projeto inclui acesso gratuito a conteúdo no Microsoft Learn e Office Support.

"O Escola do Trabalhador tem a proposta de apoiar todos aqueles que procuram acesso a uma formação e capacitação técnica para encontrar vaga em um mercado de trabalho que vem apresentando alta demanda mesmo em um momento de economia em retração, como é o caso do setor de tecnologia", explica Diônes Lima, vice-presidente da Softex, lembrando que o déficit de profissionais de TI no país deverá superar 408 mil em 2022 segundo levantamento realizado pela entidade.

Para o executivo, "a geração de empregos e a recuperação da economia passam, necessariamente, por uma qualificação profissional capaz de atender ao que o mercado de trabalho está demandando, e esta é justamente a leitura desta iniciativa, que conta com a participação direta de uma das maiores empresas do mundo e que tem se destacado por propor um olhar comunitário como o ponto de partida para a solução dos muitos problemas que afetam a economia de todos os países".

O Escola do Trabalhador 4.0 empregará a análise de dados para identificar trabalhos de alta demanda e as habilidades necessárias para preenchê-los; dará livre acesso a trilhas de aprendizagem e gerará conteúdo para ajudar no desenvolvimento das habilidades exigidas por essas posições.

A plataforma terá como público-alvo prioritário os trabalhadores da iniciativa privada de todo o Brasil, com foco nos cadastrados na plataforma SINE. Porém, estará aberta para qualquer pessoa interessada em se capacitar e a aumentar suas chances de uma colocação profissional. Terão acesso a ela, ainda, os funcionários de empresas que necessitam de requalificação profissional ou de atualização em habilidades digitais, bem como estudantes de todo o Brasil.

Deixe seu comentário