McAfee Cloud Workload Security oferece suporte a contêineres

0
0

A McAfee anuncia que a empresa está acelerando sua inovação na nuvem com o lançamento do McAfee Cloud Workload Security (CWS) v5. 1, um dos principais pilares do portfólio de soluções de segurança em nuvem da empresa.

Os contêineres tornaram-se o modelo de implantação preferido dos desenvolvedores para aplicativos modernos em nuvem, ajudando as organizações a inovar e se diferenciar no mercado. O lançamento do McAfee CWS v5.1, que estará disponível no segundo trimestre de 2018, identifica e protege contêineres, cargas de trabalho e servidores do Docker em ambientes de nuvem pública e privada. O McAfee CSW v5.1 coloca em quarentena cargas de trabalho e contêineres infectados com um clique, reduzindo o risco de configuração incorreta e aumentando a eficiência inicial de correção em quase 90%.

"À medida que as empresas recorrem à nuvem para se transformarem em negócios digitais e desenvolvem experiências atraentes para seus clientes, muitas vezes ignoram os desafios de segurança envolvidos na adoção de um ambiente de nuvem múltipla ou híbrida", disse Rajiv Gupta, vice-presidente sênior de a unidade de negócios de segurança na nuvem da McAfee. "O McAfee Cloud Workload Security permite que as organizações protejam cargas de trabalho e contêineres em nuvem na AWS, Azure, VMware e nuvem privada, abordando os principais requisitos de segurança, conformidade e governança, para que possam acelerar seus negócios na nuvem".

Previamente, eram necessárias soluções pontuais para ajudar a proteger os contêineres. Com várias tecnologias para controlar inúmeros ambientes, o gerenciamento de segurança enfrentou complexidades desnecessárias O McAfee CWS oferece suporte à integração com os principais provedores de serviços em nuvem, incluindo AWS e Azure, permitindo um gerenciamento integrado e simplificado por meio de uma única interface.

O recém lançado McAfee CWS agora pode identificar contêineres Docker em cinco minutos e protegê-los rapidamente usando micro e nano-segmentação.

Deixe seu comentário