Sigfox pretende atuar como provedor de rede IoT em dez países da América Latina em 2017

0
5

A Sigfox, provedora global de serviços de comunicação dedicada a Internet das Coisas (IoT) pretende investir cerca de US$ 50 milhões em três anos para ampliar sua presença na região, ampliando a cobertura atual de três para dez países.

A informação é de Jean-Cristophe de Coster, deployment manager Latin America da Sigfox, na coletiva de imprensa realizada na Futurecom nesta segunda-feira, 17, acrescentando que a meta é atingir 85% da população da região até 2018. Hoje ela tem operações no Brasil, através da WND, México e Colômbia.

A rede Sigfox, com sede em Toulouse, França, recebeu investimentos da ordem de US$ 150 milhões, de empresas como Telefônica, NTT Docomo, Samsung, Intel, Intelsat, Eutelsat, e empresas da área de utilities francesas, tem 280 funcionários, e atua em 24 países. Segundo o executivo, a meta é atuar em 50 países em 2017, e no seguinte ter 98% de cobertura global.

Segundo Coster, a rede da Sigfox para aplicações de IoT, além de cobertura geográfica, trabalha como baixo custo, simplicidade e eficiência energética.  Fazendo uma comparação, ele diz que o "custo mensal de 1 a 2 dólares por dispositivo de ma rede 3G na rede Sigfox seria por ano". Ressalta ainda a economia de custo em relação a energia, "pois a bateria em dura alguns anos, e em alguns casos poder chegar a durar décadas".

No exterior a empresa já conta com clientes em diversos segmentos de negócios, como telemetria, gestão de pallets, monitoramento de saúde (home care), etc. No Brasil a empresa está fazendo acordo com parceiros de negócios focados nos potenciais mercado verticais. Também realizou acordo com universidades como Unicamp e USP e institutos de pesquisas, como Cesar, de Recife; e Instituto Eldorado, de Campinas.

Deixe seu comentário