Mercado de PC cresce 1% no terceiro trimestre de 2021 

0
8

As remessas de computadores ao redor do mundo totalizaram 84,1 milhões de unidades no terceiro trimestre de 2021, o que representa um aumento de 1% em relação ao mesmo período de 2020, segundo pesquisa do Gartner. Conforme as vacinas contra a COVID-19 se tornam mais amplamente disponíveis, o consumo e gastos com educação passam a ser direcionador para outras prioridades, desacelerando o ímpeto do mercado.

"À medida que as escolas vão reabrindo no mundo todo, não há mais uma necessidade imediata de comprar computadores e Chromebooks para auxiliar o ensino em casa", diz Mikako Kitagawa, Diretora de Pesquisa no Gartner.

"A demanda por computadores corporativos continua forte, liderado pela recuperação econômica em regiões-chave e pelo retorno de alguns trabalhadores aos escritórios", acrescenta Kitagawa. "Entretanto, o crescimento de negócios de PCs concentrou-se no segmento de desktop, enquanto a escassez de semicondutores continua restringindo a remessa de laptops. Espera-se que a dificuldade no abastecimento destes componentes persista na primeira metade de 2022."

Como novidade neste trimestre, o Gartner incluiu os Chromebooks nas pesquisas do setor de computadores. As remessas desse segmento caíram 17% no terceiro trimestre de 2021, devido à diminuição na demanda no mercado educacional. Essa foi a primeira queda de dois dígitos ao ano nas vendas de Chromebooks desde sua chegada ao mercado em 2011.

O top três do ranking de fornecedores de computadores ao redor do mundo manteve-se intocado na relação ano após ano, com a Lenovo mantendo o primeiro lugar em remessas.

Estimativas Mundiais Preliminares de Remessas de Unidades de Computadores de Vendedores 

Dados do Terceiro Trimestre de 2021 (3T21) – em milhões de unidades

 Fabricante Remessas 

3T21

Participação de Mercado – 3T21 (%) Remessas 

3T20

Participação de Mercado – 3T20 (%) Crescimento 

3T21-3T20 (%)

 Lenovo  19,945 23,7  19,601 23,5 1,8
 HP Inc.  17,624 20,9  18,718 22,5 -5,8
 Dell  15,242 18,1  12,048 14,5 26,5
 Apple  7,222 8,6  6,725 8,1 7,4
 Acer Group  6,036 7,2  6,327 7,6 -4,6
 ASUS  6,028 7,2  5,714 6,9 5,5
 Outros  12,049 14,3  14,153 17,0 -14,9
 Total 84,147 100 83,286 100 1,0

Notas: Dados incluem computadores desk-based, notebooks, ultramobile premiums (como Microsoft Surface) e Chromebooks, mas não iPads. Todos os dados são estimados com base em um estudo preliminar. Estimativas finais estão sujeitas a mudança. As estatísticas são baseadas em remessas vendidas em canais. Números podem não ser compatíveis com o total mostrado devido a arredondamento. 

Fonte: Gartner (Outubro de 2021)

Após cinco trimestres consecutivos de crescimento de dois dígitos, o resultado da Lenovo foi moderado no terceiro trimestre de 2021. A companhia obteve expansão em todas as regiões, exceto no Japão, onde as remessas decaíram em mais de 50%, conforme um programa governamental na região para a compra de computadores para uso educacional chegou ao fim. Em geral, as remessas da Lenovo foram adversamente afetadas pela desaceleração do consumidor no mercado e pela escassez de oferta no mercado empresarial. Simultaneamente, a empresa se beneficiou das demandas estáveis de computadores corporativos e foi capaz de ser mais flexível na resposta à escassez de componentes, devido a um mix maior de manufatura interna.

A HP experienciou o segundo trimestre consecutivo de declínio ao ano, conduzido por uma diminuição de 30% em remessas para os Estados Unidos devido ao enfraquecimento na demanda de Chromebooks no segmento de educação. A HP também deve continuar a enfrentar problemas na cadeia de fornecimento nesse trimestre: um grande acúmulo de pedidos não atendidos levou a empresa a perder oportunidades, as quais seus concorrentes aproveitaram.

Depois de certo atraso no começo da pandemia, a Dell reportou fortes resultados no terceiro trimestre de 2021, cravando seu quarto trimestre consecutivo com crescimento de dois dígitos e alcançando mais de 15 milhões de vendas pela primeira vez. O foco limitado da Dell no mercado consumidor ajudou a empresa a ser menos impactada pela desaceleração de demandas por computadores.

A Apple ainda conseguiu alcançar um crescimento de 7,4%, apesar do fraco mercado consumidor. Os computadores baseados em M1 da empresa foram bem recebidos pela comunidade usuária, levando a aumento de remessas. Entretanto, antecipando um possível renovação de produto nos próximos meses, alguns compradores da Apple deram uma pausa na compra de laptops, o que afetou negativamente o volume de remessas 3T21.

Visão Regional 

Depois de cinco trimestres com crescimento de dois dígitos, o mercado americano de computadores caiu 8,8% no terceiro trimestre de 2021. Remessas de desktops cresceram 8%, guiados pelas demandas em ascensão no mercado de negócios, mas a diminuição da demanda no mercado consumidor de computadores continuou. Apesar das vendas de "volta às aulas" e estoques de varejo reabastecidos, tanto as remessas de laptops quanto de Chromebooks tiveram queda de cerca de 10% ao ano nos Estados Unidos.

"A relação de aparelho por estudante no mercado educacional dos Estados Unidos está começando a se aproximar de 1:1, o que tem desacelerado o passo de crescimento incremental," aponta Kitagawa. Segundo o analista do Gartner, a Dell garantiu o primeiro lugar em remessas no mercado americano de computadores com, 26,1% de participação no mercado. A HP a seguiu com 24,5%.

Estimativas Preliminares de Remessas de Unidades de Computadores de Vendedores dos Estados Unidos para o 3T21 (Em milhões de unidades)

 Fabricante Remessas 

3T21

Participação de Mercado – 3T21 (%) Remessas 

3T20

Participação de Mercado – 3T20(%) Crescimento 

3T21-3T20 (%)

 Dell 5,624 26,1 5,102 21,6 10,2
 HP Inc. 5,284 24,5 7,591 32,1 -30,4
 Lenovo 3,578 16,6 2,937 15,0 1,1
 Apple 3,240 15,0 3,538 12,4 10,3
 Acer Group 1,320 6,1 1,666 7,1 -20,8
 Outros 2,501 11,6 2,784 11,8 -10,2
 Total? 21,548 100 23,618 100 -8,8

Notas: Dados incluem computadores desk-based, notebooks, ultramobile premiums (como Microsoft Surface) e Chromebooks, mas não iPads. Todos os dados são estimados com base em um estudo preliminar. Estimativas finais estão sujeitas a mudança. As estatísticas são baseadas em remessas vendidas em canais. Números podem não ser compatíveis com o total mostrado devido a arredondamento. 

Fonte: Gartner (Outubro de 2021)

O mercado de computadores em regiões como Europa, Oriente Médio e África (EMEA) cresceu 11,8% ao ano, com 23,5 milhões de unidades, também refletindo a mistura do cenário da retomada de negócios e uma demanda consumidora fraca. Computadores desktop mostraram um crescimento robusto de 23% ao ano.

Excluindo o Japão, o mercado de PCs da Ásia Pacífica cresceu 5,7% ao ano, seu sexto trimestre consecutivo de crescimento. Apesar do impacto da variante Delta, os países da área Ásia-Pacífico estão amplamente voltando ao normal, então há menos crescimento incremental no mercado de computadores, devido aos efeitos iniciais da pandemia. No entanto, o mercado japonês viu um declínio significante comparado ao ano passado. Além do fim do programa governamental que financiava a compra de aparelhos para educação, a relutância de empresas japonesas em adotar uma abordagem híbrida de trabalho também impactou significativamente o crescimento do mercado em geral.

"Diferentes de negócios no Oeste Europeu a na América do Norte, empresas japonesas não são motivadas a aprimorar laptops para trabalho híbrido, já que muitas companhias já pararam com o trabalho remoto ou planejam fazê-lo quando abrirem os escritórios", explica a analista.

Mirando o futuro, o quarto trimestre de 2021 vai presenciar o lançamento global do Microsoft 11, a primeira grande atualização do sistema operacional da Microsoft desde 2015. O lançamento do Windows 11, porém, deve ter um impacto imediato limitado para o mercado de negócios, enquanto computadores de classe empresarial continuarão disponíveis com o Windows 10 até 2023. O Gartner prevê que no começo de 2023, menos de 10% de novos computadores corporativos terão o Windows 11 instalado. Em geral, dados do Gartner indicam que as remessas de computadores nas próximas férias serão mais fracas do que o ano passado, com demandas mais guiadas por substituições do que novas compras.

Deixe seu comentário