5 dicas para fortalecer o uso da rede social empresarial

0
24

Não é novidade que, ao longo da última década, as redes sociais têm revolucionado a forma como a sociedade se comunica. É raro encontrar alguém, ou alguma empresa, sem presença em pelo menos uma dessas ferramentas. É fato o apetite das pessoas por esse meio de comunicação e interação, mas será que as redes sociais corporativas seguem essa mesma realidade?

Surpreendentemente, não. Isso porque, em muitos casos, as forças de trabalho não percebem o empenho de seus superiores na utilização das plataformas, fazendo com que os esforços dos líderes para levá-los à produtividade tornem-se um processo falho. Além disso, os colaboradores são os primeiros a identificar o deslocamento entre o que a empresa é na realidade e o que ela aparenta ser nas redes sociais.

Rede social é vida real. Trazer os conceitos verdadeiros da sua empresa para essas plataformas potencializará a forma na qual esses indivíduos se relacionam dentro da companhia e nesse contexto, é de extrema importância a participação da liderança e isso é possível se essa identificação e o entendimento da marca acontecerem.

Portanto, não vale ofertar desculpas como "eu não tenho tempo para isso" e "tenho receio de perder o poder entre mim e os funcionários, diminuindo minha capacidade de comando e controle". O líder é o maior responsável pelo uso correto da rede social corporativa, que se, utilizada de forma eficaz, oferece benefícios como o melhor entendimento da cultura organizacional, inovação na maneira de se comunicar com o restante da empresa e divulgação de novidades em tempo real. Confira algumas dicas de como tornar esse meio um potencializador na atuação da companhia:

Os funcionários sabem o que a companhia pensa?

Fomentar o posicionamento da empresa para alguns temas dentro das redes sociais é um incrível chamariz de adeptos. Elenque temas interessantes sobre a rotina da companhia e publique artigos ou posts sobre ele, abra um canal para perceber se as pessoas pensam o mesmo que você. Em qual momento haveria ambiente para discussões dessa natureza? Essas redes podem auxiliar a demonstrar de forma simples o que a empresa pensa sobre política, mercado, igualdade, esporte, etc.

Ouça

Afinal, por que os funcionários devem dedicar um tempo para postar em redes sociais corporativas se os líderes não estão prestando atenção ao que eles estão dizendo? O simples ato de ouvir, e demonstrar que está compreendendo a mensagem, é o primeiro passo para uma colaboração significativa em período de mudança.

Compartilhe informações

Algumas ferramentas, como o Twitter, fazem com que a distância entre um grande executivo e seus times seja encurtada. Os líderes devem compartilhar suas novidades, pensamentos e ideias por meio desses canais. Isso fomenta a proximidade e gera interesse pelo discurso da empresa, trazendo muito mais adeptos ao uso positivo das redes.

Ofereça benefícios para a produtividade

Há muitos funcionários que se queixam da forma trivial como são comunicados a respeito das novidades da empresa. O uso das redes sociais corporativas acelera a interação entre colaborador e organização, o que aumenta a produtividade e a captação das mensagens-chaves.

Promova encontros para falar das redes sociais

Que tal promover workshops convidativos aos funcionários? Os encontros devem ser um espaço para troca de ideias. Como melhorar os fluxos das redes? Quais conteúdos mais chamaram a atenção da equipe? Esse movimento irá transparecer o interesse da empresa no melhor relacionamento com seus colaboradores e, de certa forma, promover a customização das plataformas.

Inúmeros estudos comprovam que as pessoas gostam de mídias sociais. Portanto, não há nenhuma razão para que as redes sociais corporativas falhem, desde que os líderes tomem as medidas necessárias para engajar os funcionários. Os executivos que mostram para seus colaboradores que estão aptos a ouvi-los e que dedicam tempo para envolvê-los na filosofia da organização serão surpreendidos positivamente.

Magui Castro, sócia da The Caldwell Partners no Brasil.

Deixe seu comentário