Como a Inteligência Artificial transformou a segurança da informação?

0
0

Cada vez mais sentimos os efeitos práticos da Transformação Digital no cotidiano empresarial. Isso se aplica em diversas frentes, desde ferramentas simplificadoras a sistemas de gestão organizacional. O conceito de Inteligência Artificial reflete diretamente nesses fatores, mas destaca-se igualmente como uma nova forma de se enxergar a segurança da informação.

Organizações de todos os tamanhos se deparam com um fluxo pesado de dados relativos a empregados e clientes, e um dos maiores desafios é garantir a integridade desse conteúdo a fim de evitar vazamentos e abordagens indevidas. Com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a urgência do assunto aumentará consideravelmente.

No último panorama estabelecido pelo Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial, especialistas classificaram fraudes e ataques cibernéticos como um dos grandes males do cenário atual. Para companhias, essa insegurança pode ser determinante para o insucesso do negócio.

É possível se defender de ameaças digitais e evitar falhas críticas. Nesse artigo, explicarei o papel da Inteligência Artificial na missão de se criar um sistema de segurança informacional eficiente. Acompanhe!

Afinal, como a IA funciona?

Quando cedemos ao imaginário popular, pensamos em Inteligência Artificial como robôs automatizados realizando tarefas de forma padronizada. Apesar de existir certa coerência nessa ideia, os processos que envolvem a terminologia são bem mais complexos e subjetivos.

Softwares e dispositivos que buscam desenvolver, com fidelidade, o raciocínio humano em sua maior essência. Na prática, as máquinas estão preparadas para aprender e retirar conclusões de informações disponíveis em suas memórias. É inegável a influência direta do avanço tecnológico como fator potencializador do uso da IA nas empresas. Com o tempo, encarou-se a alternativa como uma grande aliada em funções distintas, principalmente em termos de proteção e segurança.

Observar padrões de comportamento e identificar, através de análises assertivas, chances reais de ameaças e anormalidades. Com essa premissa, podemos nos aprofundar nos reais benefícios por trás da Inteligência Artificial.

Protagonismo na segurança da informação

Partindo para o campo de soluções de análise, a unificação de IA e segurança da informação tem se mostrado uma alternativa de valor para executivos que desejam implementar um sistema coeso de proteção de dados.

O valor informacional cresceu exponencialmente nos últimos anos. Trata-se de um ativo das empresas, e o nível de exigência, tanto do mercado consumidor, quanto do governo através de formatos regulatórios, acompanhou essa tendência. Os antivírus, que antes limitavam-se a identificar arquivos maliciosos compatíveis com registros anteriores, agora serão otimizados.

Com alto poder analítico, a Inteligência Artificial será responsável por examinar uma alta quantidade de dados, inofensivos e prejudiciais, a fim de formular um algoritmo sobre eles. Através do parâmetro criado, os sistemas de segurança terão facilidade em identificar potenciais riscos à infraestrutura interna. Há de se destacar que a IA também conta com o poder de aperfeiçoamento gradual, aprendendo com suas próprias projeções.

Porta de entrada para o Compliance

Uma cultura organizacional orientada a Compliance é um dos objetivos compartilhados pela grande maioria das empresas nacionais. Com o passar do tempo, evidencia-se a importância de uma política interna comprometida em respeitar normas vigentes e permanecer em harmonia com a lei. Isso têm relação direta com a implementação da Inteligência Artificial como pilar sistêmico.

Afinal, a segurança de uma organização vive interligada com a economia da mesma. Se uma falha crítica ocorrer, o prejuízo não refletirá somente na reputação, mas na saúde financeira como um todo. As ameaças são variadas e os efeitos, dependendo da gravidade do caso, podem desestabilizar um negócio.

A ocorrência de ataques cibernéticos e vazamentos de dados é real, cabendo aos líderes a oportunidade de utilizar de um olhar estratégico para transformar a perspectiva de segurança em suas empresas. E você? Sente que poderia melhorar esse aspecto em seu cotidiano empresarial? Participe desse debate e faça essa reflexão!

Luiz Marcelo Penha, co-founder e COO da Nextcode.

Deixe seu comentário