Aplicativos de mensageria já alteram perfil dos negócios, conclui relatório

0
0

A Zendesk acaba de divulgar seu estudo anual sobre a indústria da mensageria, o State of Messaging 2020. Elaborado pelo terceiro ano consecutivo, o relatório traz uma análise profunda e opinião de especialistas sobre as maiores tendências no negócio de conversação em todo o mundo. Construído a partir de uma combinação de mais de 24 entrevistas com líderes das áreas de vendas, produtos e marketing de empresas como Google, Twitter, Hootsuite e Birchbox, além de um levantamento original da Zendesk com dados de terceiros, o relatório fornece insights sobre como a mensageria está mudando a cara dos negócios.

Durante a última década, a mensageria transformou a forma como as pessoas interagem com os amigos, a família, os colegas e as empresas. De acordo como a Business Insider, o uso de apps de mensagens ultrapassou o das redes sociais em número de usuários globalmente ativos e, desde 2018, praticamente todos os principais canais de mensagens – WhatsApp, WeChat, Facebook Messenger, RCS do Google e iMessage da Apple – estenderam seus serviços para empresas. Ao mesmo tempo, organizações de todos os tamanhos e segmentos incorporaram experiências modernas de mensageria em seus aplicativos e sites.

O relatório State of Messaging 2020 examina aspectos chave na evolução e desenvolvimento dos negócios conversacionais e tendências para 2020, incluindo:
• As empresas dominando o cenário da mensageria e as diferenças entre países e continentes no que diz respeito a quem está ganhando essa competição
• Como os smart speakers, assistentes de voz e apps de chat estão se convergindo
• Como os chatbots se tornaram parte do comércio digital
• Os pagamentos via apps de chat serão a chave para destravar o comércio conversacional em escala?
• Por que o debate "chatbot x humanos" é uma falsa dicotomia
• Como os dados vindos de conversações podem otimizar a experiência do consumidor e ajudar diferentes departamentos da mesma empresa a se comunicarem melhor
• Como as marcas podem navegar em seu novo papel de guardiãs e construtoras de comunidades
Para mais informações, consulte o relatório interativo State of Messaging 2020.

Deixe seu comentário