e-Core e Atlassian mostram como conectar a estratégia de negócio à execução

0
44

Post content – Com o objetivo de apresentar as melhores soluções para executivos que desejam conectar sua estratégia de negócio à execução técnica, a e-Core consulting, em parceria com a Atlassian, realizou nesta quarta-feira, 18, um evento 100% digital, o Jira Align Showcase, mostrando como as organizações podem gerar resultados de forma mais rápida e confiável, trazendo entrega para clientes, empresas e investidores.

Participaram deste encontro André Palma, Co-Managing Director da e-Core consulting; Julio Chez, Gerente da Atlassian América Latina; Tatiana Feitosa, Líder do Business Agility Institute Brazil; Carlos Tristacci, Executivo de Digital Transformation do Grupo Globo; Flavio Lenhari, Gerente de Business Agility da Deloitte; Camila Marques, Expert de Business Agility na e-Core consulting e Diana Amador, Sênior Solution Engineer da Atlassian.

Na abertura do Jira Align Showcase, Julio Chez, enfatizou o crescimento que a Atlassian vem galgando no mundo, contabilizando US$ 2 bilhões de faturamento; 185 mil clientes, sendo 10% deles na América Latina; reunindo mais de 5 mil funcionários em 3 escritórios globais, mil deles contratados de janeiro até agora.

André Palma, que fez a mediação do evento, aproveitou para falar sobre a longa e grande parceria entre e-Core e Atlassian que já perdura mais de 20 anos, e agradeceu o badget (qualificação) concedido pela empresa australiana, sendo especializada em Jira Align na América Latina, habilitada a implementar e vender a ferramenta.

Agilidade nos negócios

Tatiana Feitosa, do Business Agility Institute Brazil e Set-Consultoria, em sua apresentação, explicou que agilidade de negócios é a combinação da percepção e interpretação contínua pela empresa das mudanças e tendências de mercado, com a capacidade de se antecipar e se adaptar a elas. Mas antes que isso aconteça, a empresa precisa entender o contexto antes de iniciar essa jornada, ou se preparar para que seja viabilizado.

"Importante que ela faça uma reflexão, pois agilidade não é um simples transporte para as equipes de TI, ela é parte do contexto dos negócios, emerge da necessidade de cada negócio. Quando se entende o bloqueio e o contexto do negócio, depois deve ser avaliado o uso de tecnologia ou não", ressaltou a líder.

Ela ainda elencou três drivers para adoção de metodologia ágil pelas empresas:

1º driver – devem buscar a interpretação do mercado – trazer o cliente para dentro do ecossistema do negócio, ele não é uma entidade à parte, deve se construir uma dinâmica onde o cliente esteja presente;

2º driver – aumentar a percepção e interpretação do mercado – players não devem ser considerados como concorrentes, mas sim que podem ser os principais colaboradores, alinhando empresas aos parceiros;

3º driver – produto e serviços – para materializar inovação para os clientes, não se deve antecipar a produção, primeiro é preciso entender as necessidades do consumidor, para só após iniciar a produção. É uma visão C2B – consumer to business.

Tatiana ressaltou ainda que a tecnologia ajuda a favorecer, dando como exemplo a conectividade em rede suportada pela tecnologia, que deve ser adotada linearmente dentro da organização; e a inteligência de dados, que deve automatizar as decisões de negócios, para se ganhar escala e não exigir intervenção humana. "Não se deve confundir automatizar atividades", explicou.

Segundo a executiva, as empresas têm o desafio de vencer dois paradigmas: aprendizado e comunicação, que podem refletir em novos modelos de compartilhamento e favorecer o diálogo que pode refletir na mudança cultural da organização.

Grupo Globo

Carlos Tristacci, Executivo de Digital Transformation do Grupo Globo, enfatizou em sua apresentação que indivíduos e interações são mais importantes do que processos e ferramentas, por isso é preciso avaliar onde as ferramentas entram para gerenciar a complexidade da organização.

Trouxe como exemplo a própria Globo: "No passado era uma grande empresa de comunicação, com uma grade de conteúdos assistida pelo consumidor, e que agora é uma empresa multitelas, que deve atender as expectativas de novos consumidores, que mais do que produtos e serviços, querem novas experiências, esse é desafio para as organizações".

Com o cenário atual, a Globo passou a ser uma media tech company, que exigiu novas tecnologias para otimização dos processos, além de alavancar novos modelos de negócios, monetizar outras fontes de receita, passando pelo processo de transformação para criar uma cultura de geração de valor e performance para cliente e acionistas.

Para essa nova jornada, por exemplo, foi criado o que chamam de Globo Framework, que reúne as melhores práticas de cada framework pré-estabelecido e que funcionam com o melhor contexto na empresa.

Tristacci explicou ainda que não se deve trabalhar em silos, que o time deve estar alinhado com a mesma estratégia da empresa. E os desdobramentos dessa estratégia corporativa ágil devem estar presente em todos os departamentos, como no de recursos humanos, com novas formas de contratar; no de finanças, que deve buscar novos perfis de parceiros etc.

É justamente nessa conexão que entra o Jira Align, solução já utilizada pelo Grupo Globo, em que unir ferramentas e práticas traz uma comunicação mais fluida, gestão mais efetiva dos trabalhos e das equipes, visão abrangente dos times, melhor capacidade financeira, que possibilitam tomar a decisão baseada em dados e gerenciar a estratégia da organização.

Jira Align

O Jira Align, que faz parte do ecossistema de produtos da Atlassian, foi desenvolvido para liberar a agilidade das empresas. Com a plataforma, é possível agregar dados no nível da equipe para tornar todo trabalho visível em tempo real; colocar todos da empresa na mesma página para determinar escopo, roteiros e dependências entre equipes e portfólios; conectar investimentos estratégicos com valor para o cliente criado para gerar resultados de forma mais rápida e confiável.

Os especialistas Flavio Lenhari, Gerente de Business Agility da Deloitte e Camila Marques, Business Agility Expert da e-Core consulting, ressaltaram em sua apresentação justamente as vantagens e benefícios do Jira Align, que não apenas automatiza as atividades de todos os times da empresa mas também as decisões de negócio, proporcionando ganho em escala e muito mais visibilidade para tomada de decisão.

Os experts abordaram sobre os pilares essenciais que os líderes precisam para responder rapidamente às mudanças e identificar novas formas de priorizar, planejar, entregar e operar. Trouxeram ainda que, dentre os principais desafios na adoção do ágil em escala, está a implementação de ferramentas em comum para os times. Eles ilustraram em telas do próprio Jira Align toda a visibilidade de uma entrega orientada a valor; portfólio orientado a produtos e valor; gestão das dependências em comunidades de entrega, toda a arquitetura Atlassian de ponta a ponta, portal de ideação, toda a conexão da estratégia à execução e visão executiva da ferramenta.

Vale ressaltar que a e-Core consulting possui especialistas nas plataformas da Atlassian com experiência na prestação de serviços de agilidade em escala com o Jira Align. Além disso, somos uma das principais empresas parceiras Platinum Atlassian da América Latina com a qualificação de especialização do Jira Align, habilitados a vendê-la e implementá-la.

Para mais informações, acesse: https://consulting.e-core.com/pt/

Deixe seu comentário