Unisys anuncia solução LineSight para ameaças nas fronteiras

0
15

A Unisys Corporation anuncia a disponibilidade do LineSight, novo software que utiliza análise avançada de dados e aprendizagem de máquina para melhorar a precisão da verificação de passageiros e cargas nas fronteiras, antes da entrada em um país. Além de otimizar o fluxo, a ferramenta reduz o número de falsos positivos para ameaças, que desperdiçam recursos e atrasam processos de liberação de passageiros e cargas legítimas.

Explorando tecnologias e expertise da Unisys em mais de 15 anos de proteção de fronteiras ao redor do mundo, a solução usa algoritmos avançados para analisar grandes volumes de dados de várias fontes e para apontar possíveis ameaças em tempo real. No caso de pessoas atravessando fronteiras, o LineSight avalia os riscos da intenção inicial da viagem e refina essa avaliação à medida que mais informações se tornam disponíveis – começando pelo pedido de visto até planejamento da viagem, reservas, compra de passagens, seleção de assento, check-in e chegada. Além disso, o LineSight fornece os mais atuais recursos de avaliação de risco para permitir uma intervenção preditiva e eficaz relacionada à transferência de cargas.

"Muitas soluções de segurança de fronteiras identificam possíveis riscos relacionados a passageiros e cargas com base apenas em ameaças anteriormente conhecidas – o que se parece com dirigir um carro usando apenas o retrovisor", comenta Mark Forman, head global da Unisys para o setor público. "Devido ao enorme volume de dados que precisa ser analisado e aos orçamentos e recursos limitados nos governos, essas soluções antigas não conseguem acompanhar a evolução das ameaças. O LineSight permite que agentes de fronteira em todo o mundo acelerem com eficiência a circulação de passageiros e cargas sem comprometer a segurança. O resultado é uma autorização mais rápida e mais bem fundamentada e um processo mais seguro para todos", completa.

Proteção de fronteiras e análise de pessoas e cargas no Brasil

Conter o tráfico de armas e drogas via fronteiras com países como Colômbia, Bolívia e Peru é um desafio para o Brasil, que tem 16,8 mil quilômetros de fronteiras terrestres e 7,4 mil quilômetros de costa marítima para serem vigiados – em termos comparativos, a fronteira que os Estados Unidos fazem com o México apresenta 3,1 mil quilômetros, ou seja, menos da metade. Recentemente, com a intervenção militar no Rio de Janeiro, o Ministro da Justiça, Torquato Jardim, definiu que haverá reforço policial nas rodovias para interromper o fluxo de armas e drogas até o estado.

Investir em sistemas de segurança por vídeo-vigilância automatizada (conceito de centros de comando e controle), biometria, análise avançada de dados (data analytics), inteligência artificial e outras tecnologias que permitem o cruzamento de informações de milhares de fontes em tempo real potencializa o processo de análise nas investigações e, sobretudo, a criação de mecanismos de prevenção.

"O cruzamento de dados somado à análise avançada identifica vínculos que até então não eram visíveis, permitindo que as autoridades reajam antecipadamente e possam atuar de forma preventiva, impedindo assim a ocorrência de crimes e outras ameaças. Os avanços tecnológicos estão moldando novas relações entre os órgãos de segurança e a sociedade para uma gestão mais eficiente, um conceito que chamamos de cidades seguras", comenta Guilherme Artuso, SME especialista na vertical de setor público da Unisys para América Latina.

O LineSight pode consumir vários altos volumes de fluxos de transação e gerar avaliações de risco em menos de dois segundos. Essa resposta quase em tempo real é essencial para apoiar a tomada imediata de decisões nos primeiros pontos de intervenção. Além disso, o LineSight não depende exclusivamente de regras predefinidas de correspondência de padrões; ele também inclui análise preditiva e aprendizagem automática que permitem ao sistema aprender com experiências anteriores e automaticamente gerar novas regras e algoritmos para continuamente melhorar a precisão da avaliação ao longo do tempo.

"Governos em várias partes do mundo estão enfrentando enormes desafios relacionados à proteção das fronteiras contra crescentes ameaças como tráfico de drogas e terrorismo. Eles precisarão utilizar tecnologias como análise avançada de dados e aprendizagem automática para se manterem à frente dos adversários com a capacidade de prever as ameaças antes que elas entrem em ação", afirma Alison Brooks, diretor de pesquisa na área de cidades inteligentes e segurança pública do IDC.

Além de seu trabalho para alfândegas e proteção de fronteiras dos Estados Unidos, avaliando passageiros e cargas, a Unisys projetou e desenvolveu a estrutura de biometria e aplicações usadas pelo Departamento de Imigração e Proteção de Fronteiras da Austrália em cooperação com outros países e agências para identificar fraudes nos pedidos de vistos. Ttambém apoia a Comissão Europeia e os novos Estados-Membros com o Sistema de Informação Schengen (convenção entre 30 países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas) e soluções relacionadas com dados de visto para facilitar a circulação de pessoas entre os países signatários do acordo.

Deixe seu comentário