BDRs de quatro empresas de tecnologia americanas começam a ser negociados na BM&FBovespa

0
0

Os recibos de ações (Brazilian Depositary Receipts ou BDRs) de quatro empresas de tecnologia norte-americanas listadas em bolsas dos Estados Unidos começaram a ser negociados na BM&F Bovespa nesta quinta-feira, 21. Trata-se de BDRs não patrocinados, ou seja, emitidos por instituição depositária no Brasil, no caso o Deutsche Bank, da Tesla Motors, da fabricante de câmeras digitais GoPro, da varejista de eletrônicos Best Buy e da operadora de telecomunicações Sprint.

Os BDRs são certificados representativos de valores mobiliários de companhias abertas com sede no exterior que são emitidos por uma instituição depositária no Brasil. Os certificados negociados pelas quarto empresas são BDRs nível I não patrocinados, que dispensam a empresa estrangeira de ter registro como companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou ser listada na BM&FBovespa. Por isso, elas não se sujeitam às mesmas regras de divulgação de informações das empresas brasileiras, e os emissores desses certificados que são responsáveis por esse acompanhamento.

A negociação dos papéis é realizada em mercado de balcão através do sistema megabolsa e a intermediação é feita por meio de corretoras de valores credenciadas na BM&FBovespa. Os BDRs representarão ações ordinárias (common stock) de emissão das quarto empresas, sendo que cada ação representada dará lastro à emissão de uma BDR, a exceção da Tesla que dará lastro a quarto, conforme indicado no formulário de identificação.

Os BDRs nível I, no entanto, têm algumas restrições para compra e venda. De acordo com a regulamentação da CVM, eles só podem ser adquiridos por instituições financeiras e fundos de investimento, além de administradores de carteira e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM. Investidores pessoas físicas só participar deste mercado indiretamente, via fundos.

Deixe seu comentário