Demanda em alta impulsiona crescimento da Loonar no mercado de gerenciamento de nuvem

0
15

O cenário de alta demanda por terceirização do gerenciamento de serviços de agilidade e cloud computing e a explosão da digitalização no Brasil pavimentaram o caminho para o início da operação da Loonar, que nasceu de um spin-off da OSB Software, marca com a qual atuou desde dezembro de 2018, e hoje já contabiliza mais de 20 clientes em sua carteira de clientes, em segmentos como farmacêutico, financeiro, bancário, de tecnologia e varejo

Renato Censi, um dos sócios da startup, vê um cenário desafiador no setor, gerado pelo emprego de diferentes nuvens e tecnologias ao mesmo tempo. Segundo ele, atualmente, uma empresa, seja de médio ou grande porte, pode utilizar três nuvens públicas e duas privadas, por exemplo, o que demanda especialistas em cada uma das nuvens e ferramentas capazes de se comunicar com todas elas. "O monitoramento ficou muito complexo e suscetível à perda de controle do ambiente." 

Segundo o executivo, um estudo mostra que 75% das empresas que foram para nuvem pública tiveram de recuar, principalmente pelo aumento de custos e pela complexidade no gerenciamento do ambiente.

Esse cenário motivou a criação da Loonar, que de forma simplificada e soluções especializadas se propõe gerenciar os processos e as nuvens dos parceiros. "Oferecemos aos clientes uma redução média de custos da ordem de 30%, ao mesmo tempo em que proporcionamos, em média, um aumento de produtividade acima dos 30% nos processos", pontua Censi.

Censi reforça a importância e o potencial do crescimento da adoção de nuvem multicloud, afirmando que um termômetro positivo, por exemplo, é a inciativa do Governo em contratar nuvem multicloud para prestação de serviços.

A Loonar, com uma equipe de 15 profissionais, parcerias com provedores como Equininx, Microsoft, Oracle, entre outros, avalia que com oportunidade de crescimento motivado pela aceleração da transformação digital, projeta conquistar 100 novos clientes e faturar R$ 20 milhões nos próximos 12 meses.

Deixe seu comentário