GridUnesp triplicará capacidade de processamento do núcleo de computação

0
3

O Núcleo de Computação Científica (NCC) da Unesp fará um upgrade no cluster de computadores do GridUnesp que deverá triplicar sua capacidade de processamento.  As novas máquinas da Huawei deverão entrar em operação até o final do ano. Sua tecnologia permite uma eficiência energética cerca de 15 vezes melhor do que as máquinas atuais, além de possuírem um sistema de refrigeração mais eficiente.

Com o upgrade, o GridUnesp irá adicionar 60 teraflops à sua capacidade de processamento. Para isso, foram adquiridos 56 servidores com 2 processadores Intel de última geração cada um, totalizando 1568 núcleos. Atualmente, a capacidade do cluster central do GridUnesp é de 23 teraflops, com 256 servidores e 2048 núcleos.

A capacidade de armazenamento do sistema também será aumentada. As novas máquinas fornecerão 288 TB (terabytes) de espaço para armazenamento de dados, enquanto as atuais fornecem 132 TB.

O GridUnesp é utilizado para o processamento de modelos e de simulações de projetos que envolvam ao menos um pesquisador da Unesp. Hoje, 68 projetos estão em andamento no grid, envolvendo mais de 370 usuários de diversas áreas – entre elas, a Física com 34,1% dos usuários, seguida pela Biologia e Biofísica com 26,1% e Química com 12,7%.

"Atualmente, o Grid está saturado", diz Gabriel Winckler, engenheiro de sistemas do NCC que ajudou a implementar a estrutura computacional original em 2009.

"Pensamos no upgrade para atender melhor à demanda que temos hoje e para que a capacidade de processamento se mantenha adequada ao longo dos próximos anos".

Além do cluster central, localizado no campus de São Paulo da Unesp, o GridUnesp possui clusters secundários espalhados pelo interior do estado. De acordo com o prof. Sérgio Novaes, diretor Científico do NCC, "com a instalação do novo upgrade deveremos estudar a melhor destinação dos clusters do interior".

gridQuando chegou ao Brasil, a capacidade de processamento da estrutura computacional original da primeira fase do GridUnesp encontrava-se entre as 100 maiores do mundo.

No entanto, com o avanço tecnológico, houve a obsolescência natural desses equipamentos, inclusive no que diz respeito à sua eficiência energética.

O upgrade do GridUnesp foi financiado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos). O custo total foi de cerca de R$ 2 mihões, sendo que R$ 1.9 milhão foram utilizados para a aquisição dos equipamentos e R$ 218 mil para custo de importação.

Histórico

O GridUnesp foi inaugurado em 2009 e se tornou o primeiro campus Grid implantado na América Latina. A ideia do projeto surgiu cinco anos antes para suprir uma demanda de pesquisadores da universidade com relação a projetos que necessitavam de grande capacidade de processamento e armazenamento de dados.

Assim, foi criada uma rede de computadores para interligar diversos campi da universidade, que possuem seus próprios clusters. Desde então, o GridUnesp não apenas tem facilitado o desenvolvimento científico e tecnológico da Unesp como permitido à universidade acompanhar os s avanços na área de tecnologia da informação.

Deixe seu comentário