Seis coisas que você precisa saber sobre interconexão

0
0

A interconexão é a troca privada de dados entre empresas por meio da implementação de pontos de troca de tráfego que integram conexões diretas e privadas entre elas. Embora isso já seja uma realidade atualmente, muitas corporações continuam a evoluir na forma como estão se conectando ao mundo digital.

Neste sentido, o que uma maior interconectividade significa no mundo digital de hoje? Conheça seis fatos que você precisa saber sobre interconexão para ter sucesso como um negócio digital.

  1. Quem precisa de interconexão?

Nas últimas décadas, a expansão dos negócios digitais aumentou drasticamente os requisitos de interconexão para todas as empresas em todos os setores, levando as companhias a mudar a maneira como operam para competir em um mundo conectado. Essa mudança começou quando a Internet tornou necessário que as operadoras se interconectassem para facilitar a troca de tráfego de dados entre si e seus clientes. À medida que a influência comercial da Internet aumentou, ela criou uma enorme demanda por ecossistemas interconectados que poderiam unir os provedores de e-commerce e de conteúdo com seus consumidores e parceiros da cadeia de fornecimento.

O setor de serviços financeiros foi um exemplo perfeito dessa dinâmica de ecossistema em ação, fortalecendo as trocas de comércio eletrônico para alcançarem alta velocidade por meio do poder da interconexão. E com o surgimento da computação em cloud, mais e mais empresas de todos os tipos começaram a utilizar a tecnologia tanto para obter acesso mais econômico a recursos de computação e de armazenamento, como para consumir e fornecer novos serviços digitais em escala. Atualmente, nossa economia global se torna mais digitalizada a cada dia, formando densos ecossistemas digitais, nos quais as infraestruturas de TI e de clouds corporativas on-premises convergem.

Companhias especializadas em interconexão contribuem com essa evolução, permitindo que todas as empresas que precisam se interconectem o façam da maneira mais eficiente e eficaz. Essas empresas fornecem conexões físicas e virtuais confiáveis e privadas, que estão próximas aos usuários e aos serviços de TI com os quais precisam interagir para obter a melhor performance. Ao remover as barreiras de distância e de hardware nos pontos de troca de TI distribuídos geograficamente em data centers carrier-neutral, o atrito que pode limitar os recursos de interconexão de uma companhia é reduzido. É nesses pontos de troca de TI dispersos, porém conectados, onde os dados da empresa são reunidos e os mundos físico e virtual se encontram, que reside a digital edge.

  1. Qual modelo de interconexão é importante?

Historicamente, a rede corporativa se concentrava em dispositivos de alta escala específicos para aplicações dedicadas, como roteadores, switches e firewalls usando cross connects diretos. Isso combinava com o modelo de data center tradicional centralizado, no qual todo o tráfego de dados, aplicações e de cloud passava por uma infraestrutura de TI principal. No entanto, a digitalização tornou os usuários e serviços de TI mais distribuídos regionalmente, aumentando a necessidade de dispositivos de rede programados por software mais ágeis e acessíveis na digital edge. À medida que as infraestruturas de TI híbridas se tornam cada vez mais multilocatárias e virtualizadas, os recursos de interconexão seguiram o exemplo, oferecendo mais opções e flexibilidade. A neutralidade do fornecedor de uma plataforma de colocation global com um robusto ecossistema, acessível por meio de uma experiência flexível de rede controlável por software, oferece às empresas que buscam uma variedade de serviços de rede e de cloud uma escolha superior, menor custo de propriedade e melhor performance.

  1. Como é gerida a interconexão?

No passado, os dispositivos de rede dedicados eram geralmente gerenciados manualmente com uma interface de linha de comando (CLI, da sigla em inglês) para provisionamento e com script rudimentar. As aplicações e casos de uso corporativos atuais são muito mais dinâmicos e amplamente distribuídos geograficamente e, portanto, gerenciar essa complexidade usando ferramentas tradicionais como CLI é muito complicado, lento e arriscado.

Os gerentes de operações de rede atuais precisam de maior visibilidade de ponta a ponta para alcançar o controle em tempo real de redes dispersas. Já existem soluções mais inovadoras que fornecem 100% de rede controlada por APIs, permitindo a ativação e o gerenciamento em tempo real das infraestruturas de rede. Isso permite que os gestores criem dispositivos de rede virtual em minutos, automatizem mais serviços de rede de missão crítica e sejam proativos em vez de reativos a interrupções ou problemas de performance.

  1. Quando e onde você deve se interconectar

As aplicações de rede tradicionais foram empacotadas em dispositivos especializados e intensivos em CAPEX que você "configuraria e esqueceria", a menos que precisasse aumentar os requisitos de largura de banda da rede para atender à crescente demanda. As aplicações de rede atuais, mais dinâmicas e distribuídas, e as soluções de rede virtual que as suportam tornam a configuração e o esquecimento muito lentos e caros para serem eficazes. Também torna mais difícil ativar mais recursos de rede sob demanda.

A fim de resolver esses desafios, é preciso controlar dinamicamente quando e onde a interconectividade acontece. Ao aproveitar as conexões virtuais usando o modelo "pay as you go", é possível gerenciar com mais eficiência uma infraestrutura de rede dinâmica, tanto da perspectiva do OPEX quanto do CAPEX. Isso inclui ativar automaticamente as conexões virtuais e a largura de banda quando e onde precisar, com base nos requisitos do usuário e no comportamento da performance d*–e rede.

  1. Qual é o valor comercial da interconexão?

Tradicionalmente, as empresas se conectavam a uma rede backbone, que então se conectava a seus próprios ativos ou a outros locais. Porém, as empresas de hoje precisam acessar várias redes e clouds enquanto participam de cadeias de fornecimento digital cada vez mais interconectadas. Embora a conexão com a infraestrutura da própria empresa em diferentes locais permaneça muito importante, tornou-se cada vez mais crítico conectar-se a outros participantes da sua cadeia de fornecimento digital.

Os negócios digitais que estão mais engajados e integrados obtêm exponencialmente mais oportunidades e maior valor do que aqueles que fazem isso sozinhos./ a curadoria de ecossistemas para interconectar-se a redes, clouds e cadeias de fornecimento digital, é possível expandir e dimensionar perfeitamente suas interações com parceiros digitais e de negócios críticos em todo o mundo. Além disso, as novas soluções já possibilitam o acesso remoto a provedores de cloud e de SaaS, bem como outros serviços digitais que podem não estar localizados no seu data center. É possível acessar vários serviços de rede e de cloud em minutos por meio de conexões virtuais de menor custo. De acordo com o estudo "The Total Economic Impact™", conduzido pela Forrester Consulting a pedido da Equinix e publicado em abril de 2019, as economias podem chegar a 60% e 70% nos custos de tráfego de rede e conectividade em cloud, respectivamente.

  1. Como você deve se interconectar?

No passado, a maioria das empresas usava uma rede MPLS para conectar seus locais e, em seguida, recorria à Internet para conectar-se ao mundo externo. Entretanto, os riscos de segurança e os desafios de performance inerentes à Internet pública dificultaram os resultados e as oportunidades de negócios. Ao utilizar soluções de interconexão privadas, que evitam a Internet, é possível conectar, de forma onipresente, infraestruturas híbridas multicloud a cadeias de fornecimento digital críticas sem as preocupações de segurança e de performance. As tecnologias de rede virtual, como SDN e NFV, fornecem acesso imediato aos ecossistemas digitais e de negócios e, mais importante, permitem utilizar processos de negócios dinâmicos sob demanda para descobrir, coordenar, provisionar e gerenciar interconexões da cadeia de fornecimento digital.

Acompanhar o papel, a relevância e o impacto da interconexão neste mundo digital em expansão são essenciais para a transformação digital.

Bill Long, vice-presidente de Interconnection Product Management da Equinix.

Deixe seu comentário