Tecnologia da Neoenergia antecipa possíveis falhas em equipamentos de comunicação com 90% de precisão

0
82

A Neoenergia está desenvolvendo um projeto inovador em parceria com o Centro de Inovação da Iberdrola – controladora da companhia – localizado no Qatar, no Oriente Médio. A iniciativa utiliza inteligência artificial e data analytics na aplicação de um algoritmo capaz de predizer possíveis falhas nos equipamentos de telecomunicação e de smart grid na rede de distribuição de energia. O resultado tem uma precisão de análise superior a 90% em ocorrências que podem ocorrer em até 24 horas, garantindo maior disponibilidade dos dispositivos e reforçando a confiabilidade no fornecimento de energia.

A inovação está sendo aplicada no Centro de Gerenciamento de Redes Inteligentes (Cegri), local que faz a gestão de todas as operações de telecomunicações e de redes inteligentes das distribuidoras da Neoenergia, além do monitoramento dos equipamentos digitais utilizados nas operações das redes de energia, tais como religadores, medidores, sensores e transformadores inteligentes. O Cegri monitora mais de 75 mil dispositivos e coleta dados que chegam a 10 gigabytes por dia. O que o algoritmo faz é transformar os dados em informação para contribuir na tomada de decisão.

Para o desenvolvimento da tecnologia, foram utilizados quatro parâmetros. O primeiro é a perda de pacotes – a cada cinco minutos, o sistema envia uma mensagem aos dispositivos, para verificar o funcionamento dos padrões de qualidade. Esse ciclo de troca de informação entre o sistema e os ativos é acompanhado continuamente e, em caso de falha, o registro é feito. Da mesma forma, o tempo de resposta é outro parâmetro avaliado. Ele permite verificar o intervalo entre o envio e o recebimento da resposta a partir do comando remoto que foi dado ao equipamento.

Existem ainda os parâmetros que verificam a disponibilidade e a conectividade dos ativos de rede, que avaliam se eles estão operando normalmente. "Esses critérios são a base para o funcionamento do algoritmo. Com a análise dos quatro, a tecnologia consegue avaliar o funcionamento dos equipamentos e indicar se algum deles tem probabilidade de falhar", explica João Vyctor Garcia, gerente do projeto e engenheiro de Planejamento e Padronização de Smart Grids da Neoenergia. A antecedência da predição varia de uma hora, quando a precisão na identificação da falha pode chegar a 98%, e de 12 a 24 horas, quando o algoritmo consegue ser preciso 90% das vezes.

A informação permite que a equipe da Neoenergia se anteceda a possíveis falhas e faça as devidas intervenções antes que elas aconteçam. Assim, pode enviar equipes a campo para verificar a situação ou então atuar remotamente quando possível. "Isso é importante ao permitir a constante disponibilidade dos equipamentos e contribuir de forma significativa nos investimentos em manutenção preditiva, o que reforça a qualidade das entregas aos clientes", afirma Daniel Picchi, gerente de Padronização e Implementação de Smart Grids da Neoenergia.

Para o diretor técnico do Centro de Inovação Iberdrola Oriente Médio, Javier Hernandez, o projeto se destaca pela capacidade de desenvolver algoritmos de análise de falhas personalizados. "Esta primeira etapa do projeto foi capaz de auxiliar no entendimento das relações entre os diferentes dispositivos da rede, podendo desvendar conexões não evidentes, as vezes escondidas, atrás das redes de fornecedores de serviços de telecomunicações. A manutenção preditiva dos sistemas de Smart Grids permite que as empresas gerenciem de maneira proativa os incidentes iminentes, reduzam as despesas operacionais e aumentem o desempenho das redes", afirma.

A inovação trazida pelo algoritmo apresenta ainda outro diferencial, ao permitir a análise separada de cada equipamento e a relação entre eles. Assim, caso um ativo essencial para o funcionamento de outros esteja em risco de apresentar falhas, o sistema consegue fazer a correlação e notificar a situação. Tudo isso acontece de maneira automática e possui um dashboard integrado, no qual é possível visualizar todas as ocorrências de forma prática. O painel de gestão e monitoramento está em fase de implantação junto ao Cegri e, até o final de maio, já estará completamente em uso pela equipe.

Como o projeto de inovação usa inteligência artificial, a expectativa é que ele esteja em constante processo de melhoria e aperfeiçoamento. Além de ser utilizado na base de dados do Cegri, o algoritmo tem potencial para ser incorporado em outras áreas da Neoenergia, precisando para isso apenas se adequar ao novo ambiente.

Inicialmente operado nos supercomputadores do Centro de Inovação da Iberdrola no Qatar, o algoritmo agora já roda nos servidores da Neoenergia. Isso foi possível devido a instalação da ferramenta de hiperconvergência da Nutanix, que permite unificar as estruturas tecnológicas da companhia. Assim, é possível reduzir em até 60% a infraestrutura que está dentro de um data center convencional, otimizando e automatizando determinados processos de tecnologia.

No Centro de Inovação da Iberdrola são realizados diversos projetos de interesse da companhia, com foco em três áreas prioritárias: Smart Grids, que desenvolve projetos de medição avançada, monitoramento e sensoriamento, e cybersegurança; Integração com renováveis, responsável pelo controle de microrredes, geração distribuída de energia e modelagem de sistema de energia; e o Gerenciamento de energia, que responde por eficiência energética e análise de dados.

Deixe seu comentário