Rede Ímpar investe em processos internos e atendimento na emergência

0
0

A Rede Ímpar de hospitais no Rio de Janeiro, que inclui o Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), o Hospital São Lucas, em Copacabana, e o Hospital de Clínicas Padre Miguel, na Zona Oeste da cidade, implementaram o sistema de gestão hospitalar SoulMV para agilizar processos internos e o atendimento na Emergência, cujo prazo de implantação irá o final deste ano em toda a rede.

Na prática, a tecnologia permite integrar as áreas de apoio e unificar as informações sobre os pacientes, por meio do prontuário eletrônico e da criação da classificação de risco, que organiza o fluxo de atendimento dos pacientes no Setor de Emergência, por meio de um Protocolo de Classificação de Risco. Tal iniciativa visa priorizar o atendimento de acordo com a gravidade dos casos, o que diminui o tempo de espera nas unidades.

De acordo com Sérgio Brasil, gerente de TI da Rede Ímpar, o principal objetivo da mudança é criar uma base de dados centralizada, com informações clínicas e assistenciais dos pacientes e acesso mais rápido e prático, uma vez que os profissionais podem consultá-lo de qualquer lugar, pela internet.

"Em toda a Rede Ímpar, o paciente será visto por diversos ângulos, pois informações como prontuário e exames clínicos ou de imagem estarão disponíveis em um sistema unificado. O uso dessa ferramenta de gestão de informação traz mais agilidade, conforto e segurança para os clientes", revela Brasil.

Mas além das vantagens assistenciais, o SOUL MV auxilia também na gestão administrativa, por meio de controle e otimização de processos administrativos, financeiros e estratégicos; gerenciamento de compras e distribuição e consumo de material hospitalar e medicamentos.

O investimento do novo sistema de gestão faz parte de um projeto de modernização, que elevará as unidades cariocas da Rede Ímpar a um novo patamar tecnológico: "A empresa está investindo em vários segmentos, incluindo o uso de novas ferramentas e a aquisição de equipamentos, entre outras benfeitorias. Essa mudança será um salto tecnológico e representa um marco na forma de cuidar do cliente", declarou Brasil.

Para sua implantação, funcionários foram preparados para formar um grupo de multiplicadores com a função de disseminar informações e dar suporte para todos os outros colaboradores.

Segundo Paulo Cury, superintendente nacional da Rede Ímpar, a modernização representa um ganho na qualidade assistencial. "A mudança faz parte de um processo de gestão centrada no paciente, e o sistema permitirá a integração de diversas soluções e tecnologias, que estamos colocando à disposição da equipe médica e assistencial", afirma.

Também fazem parte da rede hospitais de São Paulo e Brasília, como o Hospital 9 de Julho, que já utiliza o sistema desde 2001, o Hospital Brasília (DF) e a Maternidade de Brasília (DF), também em processo de implementação.

Deixe seu comentário