Mobile payment é principal fator de atração de cibercriminosos, afirma especialista em segurança

0
0

No ano passado,  99% de todos os malwares detectados foram direcionados a dispositivos móveis equipados com o sistema operacional Android, do Google. E o número de ataques de programas malignos cresceu de 145 mil em 2013 para 296 mil em 2015.  O motivo desse crescimento está relacionado mais com o aumento dos serviços de pagamento móvel (mobile payment), que atraiu criminosos cibernéticos, do que com as falhas de segurança do sistema operacional.

A informação é do chairman e CEO da Kaspersky Lab, Eugene Kaspersky, dada em palestra no evento MindSec, nesta quarta-feira, 25, em São Paulo, acrescentado que de longe o Windows, da Microsoft, é o sistema operacional mais atacado. "5% de todos os PC com Windows, globalmente, foram infectados em 2014."

Kaspersky

Outra ameaça recente, que está ocorrendo principalmente em países asiáticos, são os aparelhos de TV conectadas, as smart TVs, que disponibilizam transações bancárias. Disse que elas tem um controle remoto com um botão  "comprar",  pelo qual os espectadores podem  comprar facilmente os produtos exibidos , ocasião em que os dados e as informações financeiras são interceptadas pelos criminosos. "Você vê a TV e a TV vê você", ironizou. "E as captura de informações está acontecendo com outros dispositivos conectados nas residências e automóveis."

O executivo disse ainda que organizações criminosas tradicionais, máfias como os da Colômbia e México, estão contratando engenheiros especialistas para dar suporte ao cibercrime. ''Quadrilhas altamente profissionais atuam contra vítimas de alto padrão, independente de sistemas operacionais, se valendo da fragilidade da internet e sempre estão um passo à frente da proteção''.

Sabotagem é outra ameaça salientada pelo executivo, em setores como redes de energia, telecomunicações, finanças, serviços médicos, transporte e infraestruturas urbanas. ''Uma siderúrgica de aço na Alemanha e uma mineradora na Arábia Saudita, foram paralisadas por ataques cibernéticos. No caso da empresa na Alemanha, os cibercriminosos entraram pela rede do escritório e atingiram o sistema Scada, que controla a produção'', finalizou.

Deixe seu comentário