Qualcomm adquire NXP por US$ 39 bilhões

0
3

Conforme antecipou este noticiário na segunda-feira, a Qualcomm fechou nesta quinta-feira, 27, a compra da NXP Semiconductors por US$ 39 bilhões. A aquisição é considera a maior transação já realizada na indústria de semicondutores, superando o acordo de US$ 37 bilhões da Avago Technologies para comprar a rival Broadcom, e abaixo apenas da aquisição da EMC pela Dell por US$ 60 bilhões.

Segundo os termos do acordo, a Qualcomm vai pagar US$ 110 por ação da NXP, o que representa um prêmio de 34% em relação ao preço das ações da NXP negociadas em 29 de setembro. Incluindo as dívidas da empresa, o negócio atinge US$ 47 bilhões. A empresa combinada deverá ter receita anual de mais de US$ 30 bilhões.

A posição de destaque da NXP no mercado de chip para eletrônica embarcada automotiva foi uma das motivações para o negócio, já que, segundo analistas, possibilitará à Qualcomm fornecer chips para carros autônomos. A NXP também é uma das líderes na produção de chips baseados na tecnologia sem fio NFC (Near Field Communication), de comunicação por proximidade, utilizada para pagamentos via smartphones ou dispositivos para destravamento de portas de carros. Ainda conforme os analistas, a compra vai remodelar a Qualcomm, fazendo com que expanda sua linha de produtos para além de dispositivos móveis.

Atualmente, mais da metade da receita da Qualcomm é proveniente do recebimento de royalties de licenciamento de suas patentes sem fio de quase todos os fabricantes de telefones celulares. A empresa foi pioneira no que a indústria de semicondutores chama de regime "fabless" de produção de chips sem fio, modelo de gestão de desenvolvimento de dispositivos, na maior parte das vezes de hardware e semicondutores, cuja produção é realizada em uma fabricante terceirizada. Por exemplo, os chips usados nos smartphones da Apple e de outras empresas são fabricados pela Taiwan Semiconductor Manufacturing.

Já NXP, que se tornou a maior fabricante de chips automotivos com a compra no ano passado da Freescale Semiconductor, possui sete fábricas em cinco países que transformam pastilhas de silício em chips. Além dessas plantas, NXP opera sete unidades de testes de chips antes de serem vendidos no mercado.

Nesta quarta-feira, 26, NXP informou um lucro no terceiro trimestre de US$ 91 milhões, ou US$ 0,26 por ação, e um resultado operacional, excluindo itens específicos, de US$ 691 milhões. A receita cresceu 62%, para US$ 2,47 bilhões, em linha com as projeções da empresa.

A Qualcomm ainda vai divulgar os resultados do quarto trimestre do seu ano fiscal, encerrado em setembro. No trimestre anterior, encerrado em junho, a fabricante anunciou um lucro de US$ 1,4 bilhão, ou US$ 0,97 por ação. A receita aumentou 4%, para US$ 6 bilhões.

As ações da Qualcomm no pre-market da Nasdaq, negociação que ocorre antes da abertura da bolsa, já operavam com elevação de 2,9%, cotadas a US$ 70,20, enquanto os papéis da NXP subiam 2,1%, para US$ 100,72. Com agências de notícias internacionais.

Deixe seu comentário