Quatro tendências que vão impactar adoção de nuvem, segundo o Gartner

0
0

A computação em nuvem está amplamente estabelecida como o "novo normal" da TI corporativa, afirma o Gartner. Em todos os setores, a nuvem continua sendo um dos segmentos com maior crescimento de investimentos. Com gastos maiores, no entanto, existe uma maior responsabilidade dos executivos de TI (CIOs) de investirem seus orçamentos com sabedoria, uma vez que o impacto também será maior se algo der errado. Por isso, a consultoria separou quatro tendências que impactarão a adoção da tecnologia.

A otimização de custos impulsionará a adoção da Nuvem

Até 2024, quase todas as aplicações herdadas migradas para a infraestrutura de nuvem pública como serviço (IaaS) exigirão otimização para se tornarem mais econômicos. Os fornecedores continuarão a fortalecer seus recursos de otimização nativos para ajudar as organizações a selecionar a arquitetura mais econômica capaz de oferecer o desempenho necessário.

O mercado de ferramentas de otimização de custos crescerá, principalmente em ambientes multicloud. É recomendável reconhecer a necessidade de otimização como parte integrante dos projetos de migração em nuvem e desenvolver habilidades e processos desde o início, utilizando ferramentas para analisar dados operacionais e encontrar oportunidades de otimização de custos. É preciso aproveitar o que os fornecedores de Nuvem oferecem nativamente e aprimorar essa oferta com soluções terceirizadas para maximizar a economia.

Multicloud reduzirá a dependência de fornecedores

As estratégias de multicloud reduzirão a dependência de fornecedores para dois terços das organizações até 2024. No entanto, isso ocorrerá de maneiras diferentes da portabilidade de aplicações. Portabilidade de aplicações é a capacidade de migrar uma aplicação entre plataformas sem mudanças, e é vista como um benefício de uma estratégia multicloud. A realidade das práticas de negócios, no entanto, é que poucas aplicações são movidas depois de implementadas na produção e adotadas nos negócios. A maioria das estratégias multicloud está mais focada em compras, funcionalidade e mitigação de riscos do que em portabilidade.

Competências insuficientes de IaaS para nuvem atrasarão as migrações

Até 2022, as competências insuficientes de IaaS atrasarão metade das migrações das organizações de TI corporativa para a nuvem em dois anos ou mais. Enquanto as empresas de consultoria lutam para encontrar um nicho de pessoas talentosas com habilidades em nuvem, os clientes estão aquém dos objetivos de adoção de nuvem. Os integradores de sistemas são os substitutos, porém geralmente não têm a confiança dos clientes, uma vez que muitos integradores ainda estão aprendendo a dimensionar suas operações a fim de atender a demanda.

Para superar os desafios dessa escassez de mão de obra, as empresas que desejam migrar cargas de trabalho para a nuvem deveriam trabalhar com fornecedores de serviços e integradores de sistemas que tenham um histórico comprovado de migrações bem-sucedidas. Esses parceiros também devem estar dispostos a quantificar e se comprometer com os custos esperados e com as possíveis economias.

A nuvem distribuída oferecerá suporte à disponibilidade expandida de serviços

Até 2023, os principais fornecedores de serviços em nuvem terão uma presença distribuída do tipo ATM para atender um subconjunto de ofertas para requisitos de aplicações de baixa latência. Muitos fornecedores de serviços em nuvem já estão investindo em maneiras de disponibilizar seus serviços de acordo com a proximidade de acesso dos usuários.

Essa tendência continuará à medida que aumenta a pulverização de regiões cobertas por esses fornecedores de serviços armazenados em nuvem. Os "micro data centers" estarão localizados em áreas onde uma grande quantidade de usuários se reúne, enquanto os pontos de serviço em nuvem "pop-up" sustentarão requisitos temporários como eventos esportivos e shows.

Deixe seu comentário