Mais de 70% das organizações são afetadas pela escassez de habilidades em cloud, conclui relatório

0

A Cloudreach, uma empresa da Atos, divulgou novos dados destacando as últimas tendências de tecnologia em nuvem, ressaltando o impacto que a lacuna de habilidades está causando nas empresas. Mais de 70% dos líderes de TI entrevistados em todo o mundo viram a lacuna de habilidades como uma preocupação urgente, com mais da metade alegando que isso desacelerou (46%) ou representou uma crise existencial para a empresa (9%).

Os dados foram publicados em um infobriefing da IDC ''How to be a Digital Leader in 2022" e encomendados pela Cloudreach e pela Amazon Web Services (AWS), apoiando a iniciativa estratégica Atos OneCloud. A pesquisa também investiga o papel atual e em expansão da tecnologia de nuvem no apoio ao crescimento dos negócios e aos esforços de sustentabilidade.

À medida que mais organizações correm para adotar a tecnologia em nuvem para melhorar a eficiência e a sustentabilidade, o relatório mostra como o setor precisa mais do que nunca de profissionais qualificados para manter as operações. Os líderes de negócios estão descobrindo que suas iniciativas de transformação na nuvem são cada vez mais prejudicadas pela falta de profissionais qualificados, com 34% dos entrevistados explicando que a escassez reduziu sua capacidade de operar e lançar serviços.

A baixa oferta de habilidades em nuvem também está afetando a inovação, causando alta rotatividade de funcionários e inflação de salários. Recursos multi nuvem, desenvolvimento de sistemas em nuvem e governança em nuvem foram as três principais áreas mais impactadas pela lacuna de habilidades, de acordo com os entrevistados.

"Esta pesquisa confirma que há uma escassez de talentos em nuvem hoje, ameaçando projetos de transformação que são essenciais para a sobrevivência dos negócios", afirma Brooks Borcherding, CEO da Cloudreach. "Arquitetos e engenheiros talentosos são vitais para cumprir a promessa da nuvem para as empresas, e as oportunidades são enormes para suas carreiras. Essa lacuna de habilidades representa um desafio para as organizações encontrarem novas maneiras de recrutar, contratar e aprimorar talentos; incluindo a remoção de barreiras de entrada que historicamente limitaram a diversidade dentro da indústria".

"As empresas reconhecem a importância da infraestrutura em nuvem para o crescimento e efetividade da operação, e este estudo confirma que a demanda por serviços de nuvem continuará crescendo", afirma Vittorio Sanvito, Diretor de Desenvolvimento de Parceiros da região EMEA da AWS. "Por isso estamos trabalhando tão duro para ajudar a diminuir essa lacuna no mundo com nossos parceiros como a Cloudreach e a Atos. A AWS também se comprometeu a ajudar 29 milhões de pessoas em todo o mundo a desenvolver suas habilidades tecnológicas com treinamento gratuito em computação em nuvem até 2025. Estamos trazendo mais pessoas para carreiras profissionais na nuvem e aumentando a diversidade da força de trabalho".

A escala de preocupação com a lacuna de habilidades permaneceu consistente nas organizações de Cloud na América do Norte e na Europa. O Fórum Econômico Mundial estima que, até 2025, metade da força de trabalho global precisará de requalificação e 97 milhões de novos cargos surgirão devido à digitalização. Com menos trabalhadores qualificados do que empregos abertos e uma demanda crescente no horizonte, as organizações em nuvem lutarão para manter suas equipes e operações.

O estudo revelou outras tendências na tecnologia de nuvem, incluindo o papel essencial que ela pode desempenhar nas operações, crescimento e esforços de sustentabilidade dos negócios.
• 48% dos entrevistados estão agora engajados na transformação dos negócios por meio da adoção da nuvem, impulsionando mudanças mais amplas no pensamento organizacional.
• 71% dos entrevistados veem a estratégia de nuvem como o maior impulsionador da sustentabilidade hoje, com esse percentual subindo para 85% em 2023.

"Este estudo mostra que a nuvem é crucial para atingir as metas de emissões de carbono. Empreendimentos consomem menos energia e reduzem sua pegada ambiental ao migrar para um ambiente de nuvem", afirma Carla Arend, Diretora Sênior de Programas e Analista Líder de Cloud na Europa no IDC. "Para serem impactantes, as práticas de sustentabilidade precisam ser incorporadas à empresa nos processos de negócios. Essas vão além do rastreamento de emissões de CO2 ou consumo de utilidades, mas através de práticas mais ecológicas em todo o ciclo do negócio."

A pesquisa coletou dados de 610 líderes de negócios de TI na América do Norte e na Europa em grandes empresas em uma ampla gama de indústrias.

"No Brasil vemos um cenário parecido com uma lacuna forte de profissionais de TI no geral", afirma Fabio Beato, Head de Cloud da Atos na América do Sul. "Esta pesquisa demonstra que a tecnologia em nuvem não é útil apenas para a operação dos negócios, mas também pode ajudar as empresas a avançarem nos objetivos ESG, como a sustentabilidade."

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui