Inteligência analítica como perspectiva para o mercado financeiro

0
24

Com a concorrência de mercado cada vez mais acirrada e diante de um cenário econômico desafiador é fundamental que as empresas busquem diferenciais estratégicos. Diante desse contexto, o uso de soluções analíticas tem se tornado um caminho bastante eficaz para a valorização dos negócios. É possível perceber uma evolução das empresas em relação à necessidade de mudar a forma de tomar decisões, operar e criar estratégias. Se no passado as decisões eram baseadas apenas nas experiências anteriores, hoje em dia, as estratégias são fundamentadas em dados, garantindo ganhos mais efetivos e comprovados para a companhia que pode aprimorar sua eficiência operacional e otimizar recursos.

Em instituições financeiras, o uso de soluções analíticas está presente em diversos segmentos, tais como Crédito, Cobrança, Fraude, Risco de Mercado, Compliance, Marketing, Recursos Humanos, Jurídico, entre outras. O Analytics se torna essencial para oferecer o melhor crédito, minimizar a exposição de risco em carteira, avaliar os ativos, fornecer melhores algoritmos, conhecer melhor os clientes, ofertar produtos de acordo com cada perfil, minimizar o contencioso, etc. Por essas características, vemos que o investimento em inteligência analítica permite que as empresas criem o real valor para seus negócios e ofereçam um retorno de investimento elevado para seus acionistas.

Esse retorno pode ser obtido através de um processo analítico bem estruturado, que envolve desde a preparação de dados, visualização dos mesmos, desenvolvimento de modelos matemáticos e estatísticos, aplicação da solução na corporação e uma retroalimentação dos resultados obtidos para maximizar o retorno.

Esse motor analítico pode ser ainda mais eficaz quando vem acompanhado de uma camada de interfaces que entendem o processo particular de cada área de negócios. É o caso de soluções especialmente criadas para tratar de atos ilícitos e irregularidades, risco de crédito, mercado e operacional, segurança da rede (cybersecurity), experiência com cliente, dentre outras. Essas soluções possuem um entendimento do dia-a-dia dessas áreas facilitando a vida dos usuários finais e diminuindo custos operacionais. Vale ressaltar que todas elas são capazes de proporcionar decisões em tempo real, facilitando a mudança de estratégia focada na obtenção de resultados.

Saber usar o poderio do Analytics dentro de um ambiente Big Data em real time – capturando não só as informações presentes dentro de casa, mas também fazendo uso da gama de informações disponíveis na rede – pode mudar a forma com que costumávamos tomar decisões. Um caso muito comum nos Estados Unidos é a disponibilidade de crédito para estudantes que vieram de outros países, como por exemplo o Brasil. Nessa transição, como o aluno não possui histórico na praça, a prática é oferecer taxas de juros maiores porque o risco apresentado é alto. Entretanto, hoje em dia, é possível levantar outras informações desse estudante por mídias sociais, por exemplo, e extrair dados que podem diminuir seu risco e sua taxa de juros. É isso que tem feito empresas entrantes no mercado financeiro provenientes do Vale do Silício, como cita artigo recente da revista Economist.

É importante dizer que o uso da inteligência analítica deve estar alinhado ao planejamento estratégico das companhias. É necessário traçar o objetivo de negócio que almeja alcançar e ter os dados organizados e armazenados de forma clara. Empresas que não estão fazendo o uso de Analytics, provavelmente, perderão seu valor em um curto espaço de tempo.

Monica Tyszler, diretora de Soluções e Marketing do SAS.

Deixe seu comentário