Estudo revela marcas brasileiras que mais investem em influenciadores durante a pandemia

0
71

A Socialbakers, plataforma global em soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, realizou um amplo estudo nacional sobre o desempenho das empresas brasileiras que mais trabalham com influenciadores durante a pandemia.

A marca de produtos de limpeza OMO ocupa o primeiro lugar no ranking de marcas que mais colaboram com influenciadores no período, com 242 perfis fazendo 594 menções da marca; seguida da Gympass Brasil com 202 produtores de conteúdo e 211 citações; e o aplicativo iFood, com 68 influenciadores que mencionaram a marca 145 vezes. Destaque ainda para a cervejaria Brahma com 65 perfis e 172 menções, bem como a Seara com 59 influenciadores e 64 citações.

De acordo com Alexandra Avelar, country manager da Socialbakers, apesar do impacto econômico do COVID-19, as marcas ainda estão investindo no marketing de influenciadores para atingir seu público-alvo. "Os consumidores estão cada vez mais buscando opiniões e vozes confiáveis ??ao tomar decisões de compra. Isso cria uma grande oportunidade para influenciadores e marcas se unirem para criar conexões autênticas com o público", explica Alexandra.

O estudo revela ainda um desempenho muito positivo de algumas marcas no trabalho com produtores de conteúdo, o destaque fica para a Granero Transportes, Mercado Pago Brasil, Sabonete Francis, Cartão Elo e Tramontina. O resultado leva em conta o cálculo da média de interações na postagem de um influenciador que menciona a marca em comparação com uma postagem publicada pela própria empresa.

De acordo com dados da Socialbakers, no segundo trimestre deste ano, 4.104 postagens de influenciadores usaram hashtags como #ad e #publi por aqui, uma alta de 14,64% em relação ao trimestre anterior e de 11,28% em relação ao segundo trimestre do ano passado. Já os micro-influenciadores se tornaram mais importantes e agora compõem a maioria dos influenciadores (mais de 95,9% do total na América Latina são micro-influenciadores, ou seja, possuem menos de 100 mil seguidores).

O estudo da Socialbakers levou em consideração o trabalho das marcas com o marketing de influência no Instagram no segundo trimestre de 2020. Todo o estudo foi feito com base nas interações do Brasil.

Deixe seu comentário