Twitter investiga ameaça do Estado Islâmico a um dos cofundadores e a funcionários

0
19

O Twitter emitiu comunicado nesta segunda-feira, 2, informando que as autoridades policiais americanas estão investigando uma ameaça feita por militantes do Estado Islâmico ((EI, antes conhecido como ISIS) ao cofundador, Jack Dorsey, e a alguns funcionários da rede de microblogs.

Um post publicado no domingo, 1º, pedia aos militates do EI para mirar no Twitter, em razão de a empresa de mídia social ter suprimido as contas do grupo extremista. "Sua guerra virtual contra nós vai causar uma verdadeira guerra contra vocês", dizia o post, de acordo com o site de notícias Buzzfeed. A mensagem, que inclui uma foto alterada do que parece ser o rosto de Dorsey em linhas cruzadas, aparece na imagem.

O texto, compartilhado pelo website JustPaste.It, continuava: "Vocês começaram esta guerra". "Nós dissemos desde o início que [esta] não é sua guerra, mas vocês não entenderam e continuaram fechando nossas contas no Twitter…"

Procurado pela reportagem do Digits do The Wall Street Journal, o Twitter disse que sua equipe de segurança está investigando a veracidade dessas ameaças com os funcionários responsáveis e as autoridades policiais. Dorsey não foi localizado para comentar o assunto.

O EI frequentemente usa mídias sociais para disseminar suas mensagens e distribuir imagens sobre assinatos de reféns. O Twitter tem sido uma das mídias mais utilizadas para divulgar essas mensagens, em parte por causa de suas regras mais flexíveis na comparação com outras plataformas e devido à facilidade com que é possível criar novas contas. Ainda assim, a rede de microblogs vem suprimindo as contas relacionadas com a organização terrorista.

Esta não é a primeira vez que o EI faz ameaças contra o Twitter. Mas desta vez o grupo extremista parece ter intensificado a sua campanha ao visar especificamente Dorsey. De acordo com o boletim online Pastebin, o post teve mais de 8 mil visualizações.

Em resposta à ameaça anterior feita em setembro, o Twitter aumentou a segurança em algumas de suas instalações e passou a orientar seus funcionários a serem mais cautelosos e cuidadosos. A política de uso proíbe usuários de fazerem ameaças de violência contra outros. Ela também prevê a suspensão daqueles que usarem a rede de microblogs para promoção de atividades ilegais. Apesar disso, o Twitter não monitora ativamente o serviço, que envia 500 milhões de tuítes por dia. Ele apenas analisa o conteúdo da mensagem depois de ter sido enviada pelo usuário.

Deixe seu comentário