Saber analisar as informações transmitidas pelas APIs pode fazer a diferença nos negócios

0
46

APIs, como outras formas transacionais, nos trazem dois conceitos: um deles podemos chamar de envelope e o outro, de conteúdo. Uma analogia perfeita a uma carta, onde temos o envelope para indicar como a informação sai do remetente até o destinatário. O conteúdo, em geral, não importa ao mensageiro (o carteiro) que leva a informação. Já o remetente e o destinatário estabelecerão uma conexão a partir do momento que o destinatário identificar o conteúdo da mensagem.

Em uma API, as informações de "envelope" nos indicarão: remetente, destinatário, horário e data de entrega e chegada, quantidade, status da entrega, entre outras. As informações de conteúdo variam bastante, mas podem ser como transações de pagamentos, extratos, um pedido de um produto, o aviso de um embarque, o cadastro de um cliente.

Todas estas informações podem ser dados "vazios" ou sem valor dependendo de quem observa, dos objetivos, das preocupações e das ações que se espera tomar. Tecnicamente, precisamos capturar as informações da nossa API, que vão dos dados de header (cabeçalho), payload (conteúdo) a status http. Estes dados nos trarão informações das mais diversas:

  • Identificação da aplicação requisitante por um identificador, como uma key ou um token.
  • O conteúdo da transação que, por meio de uma introspecção, pode nos dizer o valor de um pagamento, quantidade e tipos de produtos comprados.
  • O status da transação, se ocorreu ou não.
  • Quantidade de transações ou eventos.
  • Ocorrência no tempo.

De posse da identificação, nós podemos constatar a aplicação e o dono e, com essa informação, observar inúmeras variáveis, como, por exemplo, rastrear que a aplicação de um parceiro de negócio ampliou em dez vezes o número de transações de pagamento em nosso produto. Essa informação pode indicar que nosso produto está atingindo o investimento da área de negócio no novo parceiro, incluindo o fato de dar retorno às ações de marketing que foram feitas para ampliar a adoção deste produto de pagamento.

Para exemplificar com visões destes insights, vou utilizar a solução Axway API Management com algumas APIs. A solução da Axway conta com o Embedded Analytics for APIs, uma ferramenta de analytics pré-configurada com dados e visões para obtenção rápida de insights para a operação e para o negócio, que nos permite analisar diversos comportamentos em tempo real, no passado e também em comparação de períodos como uma máquina do tempo. Trazer dados e dashboards preconcebidos nos poupa tempo de extrair, correlacionar, apresentar e definir alertas para tomada de ações.

Observando um dashboard com informações de todas as APIs de uma empresa nas últimas 24 horas, por exemplo, vemos os métodos de APIs mais utilizados, os back-ends (sistemas de retaguarda) mais acessados, visão geral de performance e atividades, além de uma visão rápida se algum produto API apresenta problemas à operação e ao negócio.

Com isso, um API Owner e um Administrador do sistema conseguem rapidamente identificar que uma API apresenta comportamento inadequado com alto tempo de resposta, provavelmente impactando um cliente, e até a efetivação de uma transação que pode render receitas diretas à empresa.

Os dashboards nos mostram se a empresa usa com sucesso nosso produto de informações e se o número de transações está acima do previsto, atendendo aos anseios da área de negócio quando fechou o contrato.

Saber analisar as informações transmitidas pelas APIs é de suma importância e pode fazer a diferença nos negócios, pois são essas informações que vão nos permitir agir para melhorar a experiência e a satisfação dos clientes.

Julio Cesar Campos Fernandes, especialista em APIs para o Digital Business da Axway.

Deixe seu comentário