CEO da Mozilla renuncia ao cargo após acusação de homofobia

0
0

O executivo Brendan Eich, que havia sido promovido há apenas uma semana CEO da Fundação Mozilla — responsável pelo navegador de internet Firefox — renunciou ao novo cargo nesta quinta-feira, 3, após ser pressionado pelos próprios funcionários da empresa para tal, conforme revelou o blog oficial da companhia. 

Os funcionários não aceitavam o fato de Eich ter doado em 2008, cerca de US$ 1 mil para apoiar a Proposition 8, medida que conseguiu banir o casamento gay na Califórnia. Ao assumir o novo cargo, três membros da diretoria da Mozilla abandonaram seus postos. A polêmica também revoltou o OK Cupid, conhecido site de namoro do EUA, que, quando soube da promoção do executivo, pediu aos internautas pararem de usar o Firefox .

Desde 31 de março, quem acessa o OK Cupid se depara com uma mensagem sobre o assunto: "O novo CEO da Mozilla, Brendan Eich, é um oponente dos direitos iguais para os casais gays. Por isso, preferimos que nossos usuários não usem o software da Mozilla para acessar o OK Cupid".

Em seu blog oficial, a Mozilla fez questão de reforçar que possui a "cultura de incentivar a equipe e comunidade de usuários a compartilhar suas crenças e opiniões em público", e que acredita em igualdade e liberdade de expressão. A companhia também afirmou que os planos para a nova liderança da empresa ainda estão sendo discutidos e que mais informações devem ser divulgadas nas próximas semanas.

"Nós vamos sair dessa com uma compreensão e humildade renovadas – nossa grande comunidade, global e diversificada, é o que faz do Mozilla especial e vai nos ajudar a cumprir nossa missão. Somos mais fortes com você envolvidos", conclui a empresa no comunicado.

Deixe seu comentário