Amazon avalia adquirir algumas lojas da varejista RadioShack

0
0

Com o objetivo de reforçar sua atuação no varejo tradicional, a Amazon.com vem mantendo conversações com a RadioShack para adquirir parte das lojas físicas da varejista americana de eletrônicos, que está em negociações com credores para possivelmente entrar com pedido de concordata. Rumores também dão conta que a empresa está em negociações com a operadora de telecomunicações Sprint, que pode adquirir até metade das lojas da varejista.

Atualmente, a RadioShack tem cerca de 4,3 mil lojas na América do Norte, que deverão ser fechadas caso não consiga vender parte delas. A Amazon estuda usar as lojas como vitrines para a venda de hardware, bem como para captação de potenciais consumidores e centros para clientes online, disse uma pessoa próxima à companhia, que pediu para não ser identificada, ao jornal USA Today.

A possível aquisição representaria um forte impulso à Amazon no varejo tradicional. Além da Amazon e a Sprint, a RadioShack estaria negociando também com um fundo de investimento que está por trás da Brookstone, segundo pessoas familiarizadas com o assunto disseram ao jornal americano. A ideia da RadioShack é costurar um acordo para vender uma parte de susas lojas e fechar o restante.

De acordo com as mesmas fontes, a Sprint tem discutido a compra de 1,3 mil a 2 mil lojas. Como parte das negociações, estão discutindo a adoção de um programa de co-branding nas lojas. Mas a liquidação da RadioShack não é inevitável. "É possível que outro interessado em comprar a empresa possa surgir e mantê-la em funcionamento", disseram as fontes.

O varejo tradicional colocaria a Amazon em uma boa posição, mesmo enfrentando concorrência da Apple, que tem centenas de lojas espalhadas por bairros nas cidades americanas.

O CEO da RadioShack, Joe Magnacca, promoveu um ampla reforma nas lojas da empresa e renovou a linha de produtos, numa tentativa de recuperar as vendas. Durante as negociações, o executivo em insistido na necessidade de manter a marca viva, por meio do conceito de "loja dentro da loja" que envolve operadoras de telefonia móvel.

Na segunda-feira, 2, a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) anunciou que vai "suspender imediatamente as negociações" das ações da RadioShack por ela não ter apresentad um plano de negócios para enfrentar a possível concordata.

Deixe seu comentário