BBVA e Indra fecham operação de empréstimo corporativo por blockchain global

0
3

O BBVA, grupo bancário espanhol, e a Indra, empresa de tecnologia, concluíram com sucesso a primeira operação que facilita a negociação e a assinatura de um empréstimo corporativo utilizando o blockchain a nível mundial, em uma colaboração para transferir para a operação empresarial as vantagens da tecnologia mais avançada.

Este piloto permitiu fechar um empréstimo de 75 milhões de euros utilizando uma solução desenvolvida pelo BBVA baseado em tecnologia de registro distribuído (DLT). Ao fazê-lo o BBVA segue agregando tecnologia disruptiva às soluções para seus clientes, incluindo produtos que até agora tiveram uma inovação digital limitada, como o financiamento atacadista.

Por sua parte, a Indra reforça sua prática do blockchain, neste caso aplicada ao financiamento corporativo, que se alinha à sua trajetória de desenvolvimentos da tecnologia de blockchain para casos de uso reais realizados nos últimos anos e, em geral, com sua posição de liderança na oferta de produtos e soluções de transformação digital para empresas e instituições, por meio da sua unidade de negócio Minsait.

O processo atual de contratação de empréstimos corporativos é longo e complexo, com inúmeras interações entre banco e cliente durante as quais são produzidas muitas mudanças, que requerem uma verificação contínua e uma grande dedicação de tempo. Este piloto abrange o processo a partir da negociação até a assinatura do empréstimo e, com ele, o BBVA aproveita as vantagens que a tecnologia blockchain oferece para proporcionar maior agilidade e transparência aos produtos do banco.

Tanto a Indra quanto o BBVA puderam consultar de forma autônoma e a todo momento o status da contratação e as condições graças ao rastreio característico do blockchain. Por outro lado, este sistema também digitaliza o processo da negociação, o que melhora os tempos de gerenciamento, que passam de dias para horas.

Uma vez acordado o contrato, utilizou-se a blockchain pública da Ethereum (testnet) para registrar o "hash" ou identificador único do documento relativo à operação. Desta forma, garante-se a imutabilidade do contrato acordado, já que qualquer mudança sobre o contrato assinado daria um "hash" completamente diferente.

O BBVA está desenvolvendo diferentes iniciativas dentro do entorno blockchain, aplicados aos pagamentos internacionais, o comercio internacional, compra – venda de divisas.

Deixe seu comentário