CERN vai obter dados científicos em tempo real

0
0

Físicos e engenheiros da CERN – Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear – estão se preparando para retomar as pesquisas no começo de 2015, após um grande programa de manutenção e aprimoramento que visa praticamente dobrar a capacidade da energia produzida pelo Grande Colisor de Hádrons (LHC). A Software AG, com sua solução de BigMemory de gestão de dados in-memory , tem ajudado a fornecer a máxima disponibilidade do sistema de suporte desde o lançamento da Plataforma de Controle e Monitoramento (C2MON).

O C2MON fornece informações em tempo real sobre os vários sistemas de suporte que mantêm um ambiente operacional ideal para o LHC. Isso permitirá que os pesquisadores iniciem um novo capítulo na sondagem dos alicerces da estrutura do universo, buscando os componentes mais básicos da matéria e adquirindo novas percepções sobre as leis fundamentais da natureza

A CERN deve garantir que nada comprometa o funcionamento e eficácia do LHC e monitora um fluxo ininterrupto de enormes quantidades de dados produzidos a partir de mais de 94 mil sensores que criam cerca de 1,5 milhões de eventos não redundantes por dia. Utilizando a plataforma de gestão de dados, Terracotta In-Memory com BigMemory, engenheiros e operadores podem receber, analisar e agir em tempo real sobre os dados do sensor. Abastecimento de energia, níveis de temperatura, status das câmaras pressurizadas, sistema de ventilação, entre outras ferramentas do sistema são monitoradas continuamente para suportar mais de 99,99984% da disponibilidade de C2MON (que corresponde a um tempo de inatividade inferior a um segundo por semana).

Matthias Bräger, engenheiro de Software da CERN, comenta que "na organização, não há espaços para erros e a disponibilidade do sistema é um fator crítico que pode determinar o sucesso ou fracasso. Oferecer aos engenheiros e operadores informações atualizadas em tempo real, sem interrupções, significa que, se e quando acontecerem os menores desvios, é possível seguir com ações imediatas, evitando consequências indesejadas"

CERN na Saúde

Experimentos em física de partículas têm proporcionado muitos avanços na medicina e na indústria, incluindo tratamentos de câncer, imagens diagnósticas e industriais, processamento de radiação e eletrônicos. Milhões de pessoas, todos os anos, se submetem a exames diagnósticos com a aplicação de radiofármacos – medicamentos para análises clínicas utilizados na medicina nuclear – para detectar uma crescente lista de condições médicas. Um exemplo conhecido é a Tomografia por Emissão de Pósitrons – ou escaneadores PET – que foram desenvolvidos pela CERN na década de 70 em parceria com o Hospital Cantonal de Geneva.

Deixe seu comentário