Análise realizada pela Compuware identifica pontos fracos do Black Friday 2013

0
0

Durante o Black Friday 2013, a Compuware, empresa focada emtecnologia para Gestão de Desempenho das Aplicações, acompanhou os 50 maiores e-commerces do País para analisar o desempenho de seus websites. Depois do turbulento Black Friday de 2012, as empresas que participaram da versão deste ano tinham como desafio limpar a imagem negativa deixada por websites instáveis e falsas promoções, que resultaram nos slogans criados pelos consumidores: Black Fraude e Tudo pela metade do dobro. Porém, a análise realizada pela Compuware identificou que a vilã deste Black Friday foi a infraestrutura precária incapaz de suportar o aumento de demanda.

O estudo apontou que no início da semana do Black Friday, alguns dos maiores e-commerces do País anteciparam promoções, com o objetivo de testar se seus websites estavam preparados para uma grande demanda. Mas, mesmo com estas precauções, o Black Friday 2013 trouxe insatisfações aos clientes e foi marcado pela ação do Procon em cima de algumas empresas e reclamações de clientes, que apontaram desde maquiagem de preços até a inacessibilidade e instabilidade dos websites.

Durante o Black Friday, foi observado aumento de 32% no tempo médio de carregamento das Home Pages, em relação ao ano passado. O problema de lentidão foi amenizado por alguns varejistas que instituíram as filas de espera on-line, com objetivo de ganhar tempo para gerenciar o tráfego e impedir a indisponibilidade do website devido ao elevado número de acessos simultâneos. Essa medida deixou muitos consumidores irritados, já que o modelo de compras on-line propõe praticidade e eficiência.  Ao retirar as páginas de espera do ar, os sites voltaram a ficar carregados, apresentando picos de indisponibilidade e tempo médio de resposta em torno de 20".

De acordo com Simone Lopes, responsável na Compuware pela área de E-commerce, as empresas precisam se conscientizar sobre a necessidade de oferecer uma experiência positiva aos clientes, minimizando problemas de infraestrutura. "Muitas empresas se prepararam para atender à demanda dos consumidores neste Black Friday, utilizando ferramentas que testaram um nível de acesso até cinco vezes maior para seus sites. Estas empresas, com certeza, puderam aproveitar melhor as oportunidades de negócios que o evento ofereceu", avalia Lopes.

Pela avaliação, o estudo apontou que alguns sites se mostraram mais preparados do que outros. O site mais lento registrou 16,97" e o mais rápido 1,84" a partir da utilização das filas de espera virtuais que deixaram os sites mais leves e rápidos. Alguns sites têm design simples e leve, com conteúdo suficiente para atender aos clientes, permitindo carregamento rápido, enquanto outros têm páginas pesadas, que comprometem o tempo de carregamento. Este ano, foram comparados os tempos de carregamento dos websites a partir do acesso por celulares (via conexão 3G), que registrou uma média de 22"; em Data Center, que ficou com a média de 9"; e via Usuários Reais, apresentando a média de 15".

A análise da Compuware acompanhou como componentes de terceiros que fazem parte de alguns e-commerce, mas que não estão sobre seu controle – como Facebook, Google, Twitter – impactam nos negócios. O tempo de carregamento de um link direto para o Facebook, por exemplo, chegou a 24,4".

"Este estudo aponta que não basta a empresas se prepararem com uma gama de produtos e ofertas se a experiência do consumidor não é positiva. Além de entender seu nicho de negócios, as empresas devem olhar para a suas tecnologias e avaliar se elas estão suportando momentos de pico. É preciso capturar o cliente desde a primeira vez que ele visita seu site, fornecer experiência positiva em todo o ciclo de compra. A Compuware oferece soluções que auxiliam as equipes de TI a diagnosticarem e solucionarem problemas de desempenho dos sites em curto espaço de tempo, garantindo disponibilidade dos sites aos consumidores", enfatiza Lopes.

Deixe seu comentário