FMX e Seys desenvolvem sistema de automação de trato bovino com GeneXus

0
186

A agropecuária moderna cresce pautada na utilização de tecnologias para garantir a produtividade e a lucratividade dos rebanhos. Diante deste cenário, a FMX Soluções em Tecnologia e a Seys Sistemas Inteligentes uniram seus conhecimentos para desenvolver uma solução para gerenciamento de confinamentos de gados, o Bovitrato.

O desenvolvimento do software ficou a cargo da FMX, que utilizou a tecnologia low-code da GeneXus para automatizar as linguagens de programação, providência que reduziu em 50% o tempo de concepção do Bovitrato. Já a Seys entrou com o hardware: uma balança de precisão que interage com o software para realizar a automatização dos processos que envolvem o trato de bovinos em confinamento – período de engorda.

Durante essa etapa, é necessário ter um controle preciso para que o gado ingira os nutrientes necessários e atinjam o peso ideal para venda, que é de 500 quilos. Com o Bovitrato, o zootecnista ou responsável determina e parametriza todo o plano de nutrição no software, que envia, via Wi-Fi, as ordens de produção planejadas para as operações de carregamento e descarregamento em misturadores de ração, seja em veículos (caminhões e tratores) ou em misturadores estáticos.

"A balança embarcada nos misturadores seleciona os ingredientes necessários e prepara a dieta, que pode ser individual ou direcionada a lotes de gados, conforme for necessário. Ou seja, o sistema realiza de forma autônoma todas as operações, dispensando a instalação de notebook e softwares dentro do veículo ou nos confinamentos", acrescenta Marcela Coutinho, CEO da FMX.

Ao passo que os bois são alimentados, a ordem de produção e os valores carregados de cada ingrediente para o trato individual ficam registrados no sistema, criando um histórico de cada animal. "A agropecuária de precisão configura o plano alimentar para o proprietário ter o máximo de retorno do custo do confinamento, além de controlar informações como sexo, grupo racial e origem do lote, entre outros dados", resume Paulo, Zootecnista da Seys.

Atualmente, a ferramenta controla cerca de 35 mil animais confinados em fazendas espalhadas pelos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo, como também no Paraguai. Além do confinamento, o Bovitrato conta com outros módulos que automatizam todas as etapas desse processo, como por exemplo, a saúde animal, o controle do boi via RFID e a análise de custos e resultados. Outra facilidade do sistema são os aplicativos para otimizar a rotina dos usuários.

A partir da coleta de resultados, as informações podem ser distribuídas para análise no software de gestão utilizados pelas fazendas e compartilhadas com os frigoríficos para a comercialização. A rastreabilidade dos animais proporcionada pela ferramenta permite que a carne tenha procedência e atenda aos órgãos de vigilância, tanto nacionais quanto internacionais.

"A automação do trato bovino com low-code traz ganho de produtividade e independência de tecnologia. Enquanto a GeneXus garante a atualização tecnológica, a FMX e a Seys podem focar nas necessidades de negócio das fazendas. É uma forma competitiva de continuar evoluindo a pecuária de precisão com decisões baseadas em informações disponibilizadas em tempo real", finaliza Ricardo Recchi, country manager da GeneXus Brasil, desenvolvedora global de produtos para software baseados em Inteligência Artificial.

Deixe seu comentário