Pandemia estimula uso de apps de fintechs, aponta estudo

0
35

De acordo com o "Relatório Mobile – Segmento Financeiro" – um benchmarking global de aplicativos de Banking, Pagamento e Investimento, elaborado pela Adjust e pela Apptopia, a Covid-19 acelerou substancialmente o crescimento dos aplicativos de fintech em 2020. Comparando a primeira metade de 2019 com igual período de 2020, os dados da Adjust e Apptopia indicam que:

• A atividade em aplicativos de investimento, nos quais os usuários podem negociar ações diretamente do celular, está explodindo – com um crescimento de 88% na média de sessões por dia de janeiro a junho de 2020. Aplicativos oferecidos por plataformas de negociações, como Acorns, Gatsby e Stash, estão democratizando o ato de investir ao torná-lo mais simples e acessível. Mundialmente, os apps de investimento são a segunda categoria que mais cresce rastreada pela Adjust em 2020, passando na frente de outras, como os jogos casuais e hiper casuais.

• O número de sessões em aplicativos de pagamento aumentou 49% em média nos diferentes países pesquisados. As taxas de crescimento mais impressionantes foram vistas: no Japão (75%), na Alemanha (45%), na Turquia (39%), nos Estados Unidos (33%) e no Reino Unido (29%). Os usuários estão cada vez mais usando o mobile para efetuar transações e, ao mesmo tempo, respeitar as medidas de distanciamento social.

• As sessões em aplicativos de pagamento e banking combinadas tiveram um aumento de 26% em média nos diferentes países da pesquisa. Enquanto todos os países viram um acréscimo no número de sessões, os mercados com as maiores taxas de crescimentos foram o Japão (142%), a Alemanha (40%), a Turquia (31%) e os Estados Unidos (27%).

• Os super-apps continuam sendo uma das maiores tendências no mobile. A Ásia deu origem aos super-apps com grandes nomes como WeChat e KakaoTalk. No entanto, outras regiões estão chegando perto, com o Revolut, por exemplo, seguindo essa estratégia.

"O impacto que a pandemia teve no banking e a aceleração dos serviços digitais mobile não devem ser subestimados", afirmou Paul H. Müller, cofundador e CTO da Adjust . "Embora o banking esteja se adaptando à disrupção digital há anos, a pandemia da Covid-19 acelerou essa transformação, dando acesso e oportunidade a milhões de consumidores ao redor do mundo sem contas bancárias ou com contas limitadas."

Número de instalações mostra que os mercados emergentes estão impulsionando o banking

Entre os países analisados, o Japão é líder em downloads na categoria banking, mas também é um caso atípico. Outras economias desenvolvidas viram o número de instalações cair nos últimos 12 meses, de acordo com os dados da Apptopia.

Mais tempo in-app

As sessões e instalações de aplicativos financeiros não só cresceram substancialmente em 2020, como também o tempo que os usuários passam nesses aplicativos está em ascensão. Na primeira metade de 2019, os usuários estavam passando cerca de 7,7 minutos por sessão em aplicativos de banking e pagamento, mas em 2020 esse número subiu para 8,35 minutos, um aumento de 8,9%.

Os dados da Adjust confirmam que o crescimento mais significante no tempo gasto em aplicativos de fintech ocorreu no segundo trimestre de 2020, quando várias regiões ao redor do mundo estavam em lockdown. Dos países analisados, a Argentina teve o maior crescimento anual em 2020 em relação ao tempo gasto – disparando para 72%. Em seguida, vieram a Ucrânia, com 62%, e a Rússia e o Brasil, ambos com um acréscimo de aproximadamente 50%. O Japão teve um salto de 21%.

Os custos de aquisição estão baixos, com oportunidades para a fidelização

Coincidindo com o início das mudanças econômicas e sociais causadas pela Covid-19, os aplicativos de banking e pagamento viram uma queda vertiginosa nos custos de aquisição de usuários. Começando em fevereiro, os eCPIs (Custo por Instalação Efetivo) caíram 77% em maio, com os aplicativos de banking ainda sendo capazes de adquirir usuários por uma fração do preço que eles custavam no início do ano.

Para mais insights sobre as subcategorias banking, pagamento e investimento, baixe o relatório aqui .

Deixe seu comentário