Provedores de serviços de internet pedem aprovação da reforma trabalhista

1

Sete entidades do setor de internet enviaram carta assinada ao Senado pedindo aprovação do PLC 38/2017, referente à reforma trabalhista. Segundo a carta, o projeto de lei aprovado na Câmara Federal toca em pontos fundamentais para a geração de empregos formais, o aumento da segurança jurídica nas relações de trabalho e o fortalecimento das negociações entre empresas e empregados – fatores que já seriam suficientes para justificar a necessidade de sua aprovação imediata.

A Carta foi assinada pelas entidades: SEINESP, SEINESBA, SEINEPE, SEINERGS, ABRANET, ABRINT e INTERNET SUL.

Em favor do PLC 38/2017 está o trabalho na era digital, mais centrado na criação de soluções para problemas e no desenvolvimento de novos mecanismos – tangíveis e intangíveis – para facilitar a vida das pessoas, das empresas e das instituições.

Internet, informática e processamento de dados são, na maioria das vezes, atividades transversais, presentes em praticamente todas as demais atividades, econômicas e não econômicas.

Representam a sociedade do conhecimento; ou seja, uma sociedade movida pela modernidade, que busca novos parâmetros nas relações de trabalho e de produção, o que leva, inclusive, à extinção de algumas profissões e à criação de outras.

Segundo as entidades, os termos do PLC 38/2017 coloca o Brasil neste novo cenário, onde já se encontram várias das nações mais desenvolvidas, inovadoras e com economia sustentável.

 

1 COMENTÁRIO

Deixe um comentário para Aluysio Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui