Mercado SAP amadurece e auxilia no crescimento de empresas brasileiras durante a pandemia, aponta estudo ISG

0
322

Após um declínio significativo na primeira metade de 2020, como resultado das mudanças trazidas pela pandemia da Covid-19, o mercado de serviços SAP se recuperou por meio da adaptação dos modelos de trabalho remoto. É o que evidencia o novo relatório ISG Provider Lens SAP HANA Ecosystem Services 2021 para o Brasil, lançado pela ISG (Information Services Group), e distribuído pela TGT Consult.

No primeiro trimestre deste ano, a SAP revelou ter adquirido 400 novos clientes, computando um total de 16.400 clientes de SAP S/4HANA. O estudo revelou ainda que a adoção de trabalho remoto auxiliou para que o impacto do fim do suporte ao SAP ERP não fosse irreversível, já que as novas atualizações da plataforma permitem maior flexibilidade no gerenciamento em nuvem.

O relatório, que engloba todo o escopo de serviços ao redor do S/4HANA, revelou que a maturidade do mercado é destacada por atualizações trazidas devido a necessidade das empresas de migrar para a nuvem em razão da pandemia. Com a força de trabalho migrando obrigatoriamente para fora dos escritórios, as empresas se viram forçadas a acelerar seus esforços de se adaptar à rápida digitalização dos processos de trabalho.

Isso permitiu que as empresas investissem em novos talentos, uma vez que contratos foram fechados de forma virtual e projetos foram realizados por consultores freelancers trabalhando de forma remota. Segundo o relatório, consultores independentes agora trabalham remotamente para mais de uma empresa, o que permite que os fornecedores possam pagar por profissionais mais qualificados. Em alguns casos, tais consultores trabalham para fornecedores europeus ou norte-americanos.

De acordo com Pedro L. Bicudo Maschio, analista e autor da pesquisa, com a Covid-19, as empresas foram atrás de se modernizar e assim, ficou claro que não se pode ter todas as operações dentro de um prédio ou de uma fábrica, confinadas numa rede fechada. "É necessário que as empresas abram para se integrar mais com fornecedores, com os clientes e permitir que os funcionários sejam produtivos por meio de uma plataforma colaborativa", comenta o especialista.

O novo estudo indicou que, para a maioria dos parceiros SAP, a campanha "RISE with SAP" tem auxiliado na conquista de novos negócios, uma vez que os clientes se beneficiam de custos menores de licenciamento trazidos pela plataforma, podendo se beneficiar de uma licença perpétua de ERP por meio de um pagamento mensal, o que substitui a taxa de manutenção anual. A pesquisa também revela que o programa RISE com SAP flexibilizou seus serviços de adoção de nuvem por meio de um modelo SaaS, permitindo que os clientes escolham sua nuvem preferida, uma grande conquista para a SAP.

"Não se trata apenas de otimizar os custos da operação da empresa. Migrar para SAP se trata de compreender como incorporar Inteligência Artificial, Machine Learning e uma estratégia avançada de Analytics, utilizar todos esses dados da empresa e transformá-los em novas oportunidades de negócio e de crescer vendas", explica Maschio. O analista comenta que, sem uma plataforma atualizada de ERP, diversas oportunidades de alavancagem de negócios são perdidas. "Sem uma plataforma atualizada, há um problema não apenas de extração desses dados, mas também de como operá-los de uma forma mais dinâmica e eficiente. Então, o ERP é uma peça fundamental para conseguir a transformação digital dentro da empresa".

O relatório ISG Provider Lens SAP HANA Ecosystem Services 2021 para o Brasil avalia as capacidades de 36 provedores de serviços em cinco quadrantes: Transformação do sistema SAP S/4HANA para Grandes Contas; Transformação do sistema SAP S/4HANA para o Midmarket; Serviços de Aplicações Gerenciados para SAP ERP; Plataforma de Tecnologia de Negócios SAP e Tecnologias Inteligentes, e Serviços de Aplicação Gerenciados para SAP HANA

O relatório nomeia a Accenture, Capgemini e IBM como líderes em quatro quadrantes cada, e essence IT, Infosys, NTT DATA (FH) e Tech Mahindra como Líderes em três quadrantes cada. Deloitte, T-Systems e Wipro são Líderes em dois quadrantes cada, e BCI Consulting, Cast group, Seidor e Softtek são Líderes em um quadrante cada.

Além disso, Infosys, Neoris, T-Systems e Wipro são consideradas Rising Stars—empresas que tem um "portifólio promissor" e um "alto potencial futuro" pelas definições do ISG—cada um em um quadrante.

Deixe seu comentário