Schutz lança nova plataforma para incrementar varejo virtual

0
0

Com o objetivo de integrar sua plataforma de varejo com o site institucional da marca, a Schutz promoveu uma integração de ambas, tendo com meta melhorar a experiência de compra, engajamento e interação da marca com os consumidores de moda e ao mesmo melhorar a eficiência do negócio. Antes o varejista então tinha um site institucional e outro específico para o e-commerce: schutz.com.br era o institucional e loja.schutz.com.br o e-commerce.

''Ao desenhar a nova estratégia de mudança de plataforma entendemos que deveríamos consolidar tudo em um único site, combinando conteúdo de marca com a venda de produtos. Na home de nosso novo site damos grande destaque para o vídeo de campanha e áreas como blog e Instagram. Ao mesmo tempo, temos um banner principal que leva para uma vitrine e um carrossel que remete aos cubos utilizados nas lojas físicas para expor nossos produtos'', explica Maurício Bastos, gerente de canal online do Grupo Arezzo, do qual a Schutz faz parte.

IMG_3807Até então ela utilizava a plataforma de e-commerce Rakuten, que opera em um modelo full service, ou seja, faz toda a gestão do desenvolvimento de front-end, back-end além da parte de infraestrutura. ''Um modelo muito bom para quem está começando ou não pretende ter dentro de casa um grande time de TI'', acrescenta.

Após essa decisão a empresa escolheu a plataforma hybris, da SAP, que realiza a gestão total da tecnologia e do negócio, que proporciona mais autonomia e ao mesmo tempo maior envolvimento e responsabilidade nas decisões estratégicas. ''A principal diferença entre o site antigo e o novo é que, com maior controle, pudemos desenvolver uma experiência muito mais alinhada com o look&feel da marca e investir em pontos fundamentais para o nosso negócio, como uma ferramenta de busca com diversos filtros e cruzamentos baseado em nosso conhecimento das clientes usuárias, imagens em alta resolução na página de detalhe dos produtos e listas para as clientes colecionarem os produtos que já tem e aqueles que querem ganhar. Soma-se a isso o fato do novo site ser responsivo (adapta-se aos mais diferentes dispositivos, como tablets e smartphones), em uma realidade onde esses aparelhos já representam 25% de nosso faturamento. A implantação da hybris é nosso primeiro passo dentro de uma ampla estratégia omni-channel, onde estaremos cada vez mais conectados com nossa cliente e integrando os diferentes pontos de contato do mundo físico e online11, ressalta Bastos,

Para mensurar as mudanças, a Schutz acompanha continuamente o engajamento das clientes dentro do site. Ele diz que ''o lançamento do novo site ainda é recente, em 16 de setembro, mas já notamos um crescimento superior a 10% em número de visitas e aumento no tempo médio de navegação do site, indicando que de fato estamos proporcionando uma experiência muito mais imersiva no mundo da marca. Em termos de receita, o comportamento esperado no lançamento de uma nova loja é de queda, pois as usuárias precisam conhecer o novo site, adaptar-se e reativar seus cadastros. Entretanto, em nosso caso mantivemos o mesmo patamar em que estávamos e existe uma forte tendência de crescimento''.

Em relação à adoção da plataforma hybris e da infraestrutura de TI, a empresa sentiu maior consistência da aplicação, como estabilidade da infraestrutura (o site não sai do ar) e tempo de carregamento do site. ''A performance é algo fundamental dentro da estratégia de conversão de um e-commerce e, neste sentido, conseguimos um ganho de 30% no comparativo com nosso site antigo''.

Um importante recurso em relação ao site antigo é que a Schutz tinha apenas uma versão desktop, mas ainda assim os dispositivos móveis apresentavam participação significativa dentro de nosso faturamento. ''Agora, com a criação de um site responsivo estamos apostando ainda mais no crescimento desse canal, em um contexto onde temos clientes cada vez mais conectadas e exigentes. Neste sentido, também estamos desenvolvendo um aplicativo que será lançado nos próximos meses e irá funcionar como um Tinder de sapatos'', revela Bastos.

Grupo Arezzo

A Arezzo & Co surgiu em 1972, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. A marca nasceu da inspiração e desejo da família Birman de ligar a produção à moda italiana, no contexto dos anos 70, em meio à grande influencia da moda europeia no mundo. O primeiro marco de consolidação da marca Arezzo no mercado brasileiro de calçados femininos se deu em 1979, com o lançamento da sandália Anabela.

Na década de 80, a falta de suporte na área industrial de Belo Horizonte levou a fábrica a verticalizar sua produção, possibilitando maior controle e qualidade dos processos desde a produção do couro e sola até o produto final. Em 1990 abriu sua primeira loja conceito – flagship store – na rua Oscar Freire, importante área comercial de grifes nacionais e internacionais na cidade de São Paulo. A Companhia passou a investir cada vez mais em diversas ações nos pontos de venda e as operações do canal de franquias foram fortalecidas, o que permitiu levar seus produtos a todo o território nacional. A Companhia também investiu na abertura de lojas próprias em centros estratégicos de consumo.

Ainda nos anos 90, o foco da marca Arezzo passou a ser a especialização em pesquisa e desenvolvimento de novos modelos e tendências, e em vendas no varejo. As operações fabris foram encerradas em Minas Gerais e o outsourcing da produção passou a ser realizado na região calçadista do Vale do Sinos, Rio Grande do Sul. O conceito de fast fashion ganhou destaque e as operações comerciais foram centralizadas em São Paulo.

Em 2007, a marca Schutz foi incorporada ao grupo. Ela foi fundada por Alexandre Birman em 1995, sendo sua primeira fábrica inaugurada, dois anos depois, em Minas Gerais. Em 1999, migrou sua produção para a cidade de Campo Bom, Rio Grande do Sul, e em 2002 iniciou a expansão internacional de suas operações por meio da exportação de calçados e participação em exposições internacionais. A união entre a Companhia e Schutz trouxe ao grupo sinergias à gestão e complementaridade ao portfólio de marcas.

Dando mais um passo em direção à institucionalização, em 2011 a Arezzo & Co se tornou uma Companhia aberta com suas ações negociadas e listadas no Novo Mercado da Bolsa de Valores.

Deixe seu comentário