Três supercomputadores brasileiros estão na lista dos Top 500 do mundo

1
32

Recentemente, foi divulgada mais uma edição do ranking TOP 500 de supercomputadores, que classifica os computadores de alta performance no mundo. Fazem parte desta lista três supercomputadores brasileiros: o Santos Dumont, pertencente ao Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC); o Fênix, da Petrobras; e o Ogbon, do SENAI Cimatec da Bahia. Os três supercomputadores são considerados os maiores do Brasil e da América Latina e foram construídos pela Atos.

Os computadores de alta performance são máquinas com velocidade de processamento e capacidade de memória milhares de vezes superiores aos computadores comerciais. Eles são utilizados para processamento paralelo, cálculos complexos e tarefas extensas e intensivas, que exigem na ordem de quatrilhões de cálculos por segundo. São geralmente empregados para pesquisas científicas em múltiplas áreas e com grandes volumes de dados, como meteorologia, geologia, medicina, Óleo & Gás, física etc.

Confira os três gigantes brasileiros:

Santos Dumont

Instalado em Petrópolis (RJ), o Santos Dumont acaba de receber uma atualização de 4 Petaflops, passando para a capacidade de processamento total de aproximadamente 5,1 quatrilhões de operações por segundo, um aumento de aproximadamente 360% se comparado às especificações originais de 2015 de 1,1 Petaflops. A expansão é uma iniciativa em conjunto com o Consórcio Libra, liderado pela Petrobras e visa apoiar o desenvolvimento de pesquisas no setor de petróleo e gás, principalmente para estudos de imagens sísmicas em profundidade e simulação de reservatório em tempo real, com mais precisão.

Este supercomputador está envolvido em cerca de 150 projetos de pesquisas que atendem desde a exploração de petróleo e gás, carvão mineral e energias renováveis, a ações como a pesquisa do vírus da ZIKA e Dengue, desenvolvimento de fármacos para HIV e estudos sobre clima. No ranking dos TOP 500 o Santos Dumont é o supercomputador de N°193.

Fênix

Em 195º no ranking dos TOP 500 está o Fênix, supercomputador utilizado pela Petrobras para desenvolvimento, aplicação de algoritmos e processamento de dados geofísicos. Com 48.384 núcleos de processamento e 55.296 gigabytes de memória, o Fênix processa dados geofísicos de sub superfície, os quais são adquiridos na superfície marinha ou terrestre, criando uma imagem bem definida do subsolo e de seus aspectos, tornando possível a identificação de possíveis acumulações de petróleo. O supercomputador otimiza o processo de geração das imagens sub superfície, diminuindo em até quatro vezes o tempo de processamento dos dados geofísicos. O Fênix está localizado na base da Petrobras em Vargem Grande (RJ).

Ogbon

Na posição 347° do TOP 500 se encontra o supercomputador Ogbon que fica alocado no Centro de Supercomputação do Senai Cimatec, em Salvador (BA). O equipamento foi financiado pela Petrobras e é utilizado na pesquisa aplicada de geologia, geofísica, engenharia de reservatórios e outros setores que abrangem a questão de óleo e gás. O Ogbon é composto por 78 nós de computação GPU (total de 312 placas aceleradoras GPU Nvidia V100 NVLink, totalizando 2.4 PetaFlops de pico e 1.6 PetaFlops sustentáveis) e 27 nós de processamento CPU com processadores Intel Cascade Lake.

Deixe seu comentário