Apesar da queda nas fusões e aquisições no país, setor de TI tem alta de 35% no total de operações

0
2

O número total de fusões e aquisições no Brasil no primeiro trimestre deste ano registrou uma redução de 20% em relação a igual período de 2015. Foram registradas 198 transações que movimentaram R$ 29,72 bilhões, 12% a mais que no mesmo período do ano passado, segundo o relatório elaborado pelo TTR em parceria com a Merrill Corporation.

Os subsetores mais ativos em operações de fusões e aquisições no trimestre foram de tecnologia, com 42 transações; financeiro e de seguros, com 30 operações; internet, com 30 transações; e distribuição e varejo, com um total 17 operações, respectivamente. O relatório destaca que nos três primeiros meses do ano foi registrado um aumento de 35% no número de operações no segmento de tecnologia e 15% no segmento financeiro e seguros em relação ao primeiro trimestre de 2015. Entretanto, o número de transações realizadas no segmento de tecnologia e internet até agora é  42,86% inferior ao mesmo período do ano passado.

Em relação às aquisições realizadas por empresas estrangeiras no Brasil (transações inbound), foram registradas até agora 47 operações, sendo que o maior comprador estrangeiro, os Estados Unidos, realizou somente 18 operações, que representa uma redução de 28% no número de transações registradas no mesmo período do ano passado. Entre os principais compradores estrangeiros, além dos Estados Unidos, estão Luxemburgo (6 transações), Canadá (4 transações), Alemanha (3 transações) e França (3 transações). Novamente, o subsetor que mais atraiu investimento estrangeiro foi o de tecnologia, seguido por distribuição e varejo, financeiro e de seguros, e o de mineração.

Operações outbound

Em relação às aquisições realizadas por empresas brasileiras de empresas estrangeiras (outbound), o Brasil realizou até agora um total de cinco transações, sendo que os destinos dos investimentos brasileiros foram Argentina, Chile, Colômbia, Ilhas Cayman e Estados Unidos. Cabe destacar que as empresas brasileiras investiram principalmente no segmento de tecnologia.

Já em relação às empresas brasileiras vendendo participações no exterior até agora foram registradas oito operações de desinvestimentos.

No primeiro trimestre, foram registradas 26 transações envolvendo empresas de private equity no mercado brasileiro, sendo que 14 delas envolveram empresas estrangeiras. Deste total, apenas 18 tiveram seu valor divulgado, movimentando um total de R$ 3,26 bilhões. O volume movimentado representa um aumento de 76,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre os subsetores de maior interesse de private equity estão o farmacêutico e de cosméticos, mineração, tecnologia. Entre as private equities que mais realizaram operações no mercado brasileiro estão a Mubadala dos Emirados Árabes Unidos, a Carlyle e a HIG Capital, ambas dos Estados Unidos, e as brasileiras Invest Tech e Kinea Investimentos.

Venture capital

No primeiro trimestre já foram registradas 27 transações envolvendo empresas de venture capital no mercado brasileiro, sendo que apenas 17 delas tiveram seu valor divulgado, movimentando o total de R$ 487,65 milhões, e, finalmente, do total de transações apenas 11 delas envolveram empresas estrangeiras.

Os subsetores de maior interesse dos fundos de capital de risco no trimestre foram tecnologia, internet e telecomunicações. Entre as empresas de venture capital que mais realizaram operações no mercado brasileiro estão as brasileiras Oxigênio Aceleradora, Monashees Capital e Wayra Brasil, e as norte-americanas Qualcomm Ventures e Valor Capital Group.

No trimestre foram registradas somente quatro operações de tipo follow-on concluídas. Juntas elas movimentaram R$ 596,63 milhões. A empresa Vinci Partners liderou o ranking TTR de assessoria financeira em fusões e aquisições por número de transações, seguido pela Ártica Investimentos e pela Lazard. Em relação ao ranking por valor total de transações, a Lazard liderou, seguida pela IGC Partners Assessoria Empresarial e pela Vinci Partners.

Deixe seu comentário