Visa Brasil terá centro de inovação em meios de pagamentos até final do ano

0
35

Até o final do ano São Paulo vai ganhar o segundo centro de inovação em meios de pagamentos da Visa, que irá se somar ao inaugurado em julho do ano passado em São Francisco, nos EUA. A informação é de Marcelo Sarralha, diretor de produtos da Visa, acrescentando que essa é uma iniciativa que faz parte do Programa Digital Prefered Partner, voltado para bancos, lojas e parceiros desses clientes.

O Centro de Inovação proporcionará mais rapidez, informações e ferramentas para a criação de diferentes produtos e serviços de meio de pagamento, conveniência, padronização, interoperabilidade, acessibilidade global e segurança para todos os participantes do sistema de pagamentos.

Marcelo Sarralha

Sarralha explica que os parceiros poderão utilizar as APIs homologadas mundialmente pela Visa, rotinas de desenvolvimento seguras, certificadas, com uso do PCI, de modo que as soluções possam ser usadas por qualquer cliente em qualquer país do sistema Visa, que soma mais de 2,5 bilhões de cartões emitidos.

Trata-se de uma nova etapa da Visa no Brasil, que tem focado cada vez mais no desenvolvimento de plataformas digitais, como a tokenização e pagamentos em nuvem, que foram desenvolvidos no Visa Innovation Center em São Francisco.

O Brasil – destaca o executivo – é reconhecido por hoje ser o país com a maior base de cartões com chip embutido; pela massificação de cartões com uso de NFC para micropagamentos por aproximação e pelo Virtual Visa Checkout, uma solução simples, uma carteira digital que com uso de nome de usuário e senha permite a realização da transação como se o cliente estivesse fazendo-a num estabelecimento físico.

Com o novo Centro de Inovação a Visa pretende também dar ênfase a novas soluções de pagamentos por dispositivos móveis, tendo em vista a crescente base e utilização de smartphones pelos consumidores. Também utilizará ferramentas de Big Data para entender os hábitos de uso e de consumo, para dar suporte a iniciativa dos parceiros. "Estamos num período em que se exige mais criatividade. Existe uma necessidade e uma infinidade de novas possibilidades, novos meios de pagamentos e produtos'', acrescenta.

De acordo com a ABI Research, mais de 30 bilhões de dispositivos serão conectados sem fio à "Internet das Coisas – IoT" até 2020. Além disso, uma pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa Pew mostrou que 83% dos especialistas em tecnologia e usuários da Internet engajados concordaram que a IoT e a computação vestível, incorporada, terá efeitos benéficos e generalizados em pessoas, empresas e comunidades até 2025.

O Centro de Inovação abrigará um Briefing Center, espaço onde será apresentado para os clientes o que tem sido feito em termos de inovação em outros países, informações também poderão ser acessadas em tempo real; um showroom para demonstração de diferentes produtos e tecnologias já implantados no Brasil e no mundo, o espaço Co-development, onde será possível desenvolver diferentes tipos de prototipagem.

Deixe seu comentário