Trabalhando com SEO na Pandemia: 3 tendências que podem ajudar seu negócio

0
0

Trabalhando com SEO (Search Engine Optimization) há alguns anos, conseguimos observar uma mudança significativa no comportamento dos usuários durante a crise do COVID-19. Por trabalharmos com clientes tanto na Europa quanto no Brasil, foi possível identificar algumas tendências para o mercado previamente, pois a crise começou antes na Europa. Tais tendências, conforme observado, se repetem aqui depois de algumas semanas.

Já sabemos que a quarentena e o isolamento social foram fatores responsáveis não só pelo aumento significativo da demanda por compras e serviços on-line, como também forçou a transformação digital no mercado. Basta observarmos a variação do valor das ações da Via Varejo (VVAR3), B2W(BTOW3) e Magazine Luiza (MGLU3) ao longo da pandemia para entendermos como o mercado reagiu.

No mercado de SEO, não tem sido diferente. Em nosso ponto de vista, podemos separar as tendências e transformações em três blocos: buscas específicas, aumento de demanda e termos branded. A seguir, vamos explicar como aproveitar cada uma delas.

Buscas Específicas

O resultado mais previsível é o da alteração no comportamento de busca de usuários. Termos relacionados à atividades praticadas na quarentena tem crescido de forma muito rápida, e levantamos alguns exemplos no Google Trends*:

Supermercado Online: Aumento de 1.429% nas buscas

Bicicleta ergométrica: Aumento de 470% nas buscas

Academia em casa: Aumento de 580%

Pão caseiro: Cerca de 500%
 

Observamos que sites que já possuíam este tipo de conteúdo, ou que conseguiram gerá-los mais rapidamente, beneficiaram-se de um tráfego orgânico com qualidade.
Mais tráfego = Mais vendas.

Aumento na demanda

Este é um comportamento que observamos primeiro na Europa e depois no Brasil. Não só o tempo na internet aumentou, como novas pessoas desenvolveram o hábito de pesquisar e comprar na internet.  O aumento nítido de usuários conectados teve como primeiro efeito o crescimento das vendas nos sites (muitas vezes apresentando crescimento de visitas e queda leve em conversão), seguido de um estímulo rápido dos acessos orgânicos, sem que nada fosse feito.

Quanto maior a demanda, maior o tráfego. Essa informação até então, é clara e previsível. Entretanto, o que de fato surpreendeu o mercado foi a redução do CPC (custo por clique) do Google, afinal, o buscador trabalha com um leilão e com mais empresas querendo vender online. Isso deveria, em tese, ocasionar na inflação dos preços. Ocorre que o aumento de usuários foi proporcionalmente maior ao aumento dos lances, gerando um cenário favorável para agências e gerentes de mídia em todo país.

Para o profissional de SEO, este é um momento de oportunidade: criar mais páginas relevantes, aprender com o feedback dos usuários através dos relatórios de buscas internas e se preparar para indexar a cauda longa – As ações tomadas neste momento de oportunidade podem refletir de forma positiva nos próximos meses de trabalho.

Termos Branded

Damos o nome de "Termos Branded" a todas as buscas que contém o nome da marca buscada em sua pesquisa. Por exemplo, para o Mercadinho do João, buscas como "refrigerante no mercado do João" e "comprar no mercadinho do João", são consideradas branded.

Desde Abril de 2020 observamos um grande crescimento do tráfego proveniente de Termos Branded, e essa é uma das respostas ao comportamento do consumidor. Acostumado a comprar em uma loja e agora sem a possibilidade de visitá-la, o consumidor passa a buscar pelo estabelecimento on-line.

Este tráfego, desde Junho de 2020, parece estar perdendo a força. O consumidor já conhece as possibilidades, se encontrou on-line e criou o hábito de compra, por isso não precisa mais buscar a marca na internet – Canais como e-mail marketing, redes sociais e remarketing passam a estimular a compra de forma mais eficiente.

A dica aqui é voltarmos para o ponto número 1: Através das buscas específicas durante o período em que vivemos sites grandes e pequenos, que experimentaram um crescimento no tráfego por conta desta crise, precisam passar a investir em conteúdo relevante para se manterem ativos e com alto nível de performance.  

Concluindo nossa visão: a pandemia modificou permanentemente a forma como trabalhamos SEO, aumentando o volume de buscas e usuários on-line e a de geração de tráfego orgânico. Estar pronto e preparado para aproveitar as oportunidades de SEO que surgem na crise pode ser uma decisão que mudará a rentabilidade do seu tráfego nos próximos anos.

João Lee, cofundador da startup brasileira Simplex, especialista em plataformas digitais de Analytics e CRM, atuou, desde 2009, em grandes marcas de varejo, dentre as quais a CNOVA Brasil, onde foi o responsável pelo desenvolvimento da área de Web Analytics. Lee é graduado pela ESPM-SP em Comunicação Social.

Deixe seu comentário