Como a tecnologia ajuda a reativar o setor hoteleiro no pós-pandemia

0
11

Após mais de um ano de incertezas, entramos agora em um período de busca por uma nova normalidade. Atividades comuns como sair de férias ou hospedar-se em um hotel foram suspensas ou postergadas e agora começam a sair do papel. Segundo um levantamento realizado pelo Ministério do Turismo no Brasil, os hotéis das principais cidades turísticas do país registraram taxas de ocupação acima dos 75% no último feriado de finados.

Mas com um período de restrições para visitar outros países e regiões, tornou-se imprescindível que o setor hoteleiro fizesse mudanças e inovações que garantissem a implementação de sistemas inteligentes que mantivessem a atenção às medidas sanitárias e distanciamento social, além de fornecer uma gestão superior da capacidade de rede em um hotel, para satisfazer as novas necessidades dos chamados viajantes digitais. 

A era do contactless  

Durante o evento HITEC 2021 (um dos maiores do mundo destinado ao setor hoteleiro), realizado recentemente em Dallas, foi possível estabelecer um diálogo mais próximo com os participantes, com a oportunidade de abordar tendências que serão extremamente relevantes em um futuro não muito distante, onde a nova normalidade apresentará outros tipos de desafios. Embora no evento tenham sido apresentadas ferramentas maduras para Inteligência Artificial (IA), o tema principal foi mesmo como promover uma experiência positiva para o hóspede, e isto se refere aos serviços personalizados e tecnologias contactless, que hoje um hotel deve oferecer ao seu público.

Os dispositivos móveis se tornaram cruciais na dinâmica entre os serviços hoteleiros e seus clientes. Por meio de smartphones, por exemplo, o hotel pode enviar notificações aos usuários promovendo atividades ou produtos especializados. Este método não apenas estabelece o início de uma atenção personalizada, mas também evita o contato físico com as pessoas, o que é crucial neste momento.  Estas tecnologias contactless inclusive evitam o uso excessivo de chaves para entrar em um quarto, com as fechaduras eletrônicas e aplicativos de controle de acesso.

Da mesma maneira, por meio do Property Management System (PMS) dos hotéis, é possível coletar informações sobre o usuário para personalizar serviços e produtos de acordo com as suas preferências. Já há aplicativos disponíveis que detectam a localização do usuário, e com eles é possível, por exemplo, dar gorjeta mediante QR codes que cada garçom carrega consigo. Isto evita o contato físico e minimiza o risco de contágio por Covid-19. 

Qualidade com análise de dados

Outra tendência que ganha espaço é a melhoria da experiência dos hóspedes por meio da coleta de dados. Para isto, é preciso levar em conta que existem dois tipos de dados a serem considerados na operação de um hotel: um se refere a dados da rede e seu estado, enquanto o segundo, diz respeito aos dados do usuário. Quando a meta do hotel é priorizar uma experiência positiva para o hóspede, a chave está na compreensão dos interesses de cada pessoa ao se hospedar. Graças a estas análises podem ser integrados serviços personalizados, o que torna sua estada mais confortável e confiável.

Em relação aos dados operacionais da rede, estes não existem apenas para conhecer o status da infraestrutura e sua capacidade de operação e conectividade, mas também como um elemento para poder capturar tanto dados de usuários, como da rede. Sistemas avançados de analytics permitem monitorar o desempenho da rede e contar com inteligência artificial para prever futuros problemas.

O crescimento da IoT

A pandemia e os novos hábitos dos usuários geraram grandes mudanças no setor de hotelaria, onde a tecnologia é cada vez mais relevante. O crescimento constante da internet das coisas (IoT) oferece grandes vantagens e vários aplicativos, que dão impulso à inovação e ao crescimento da indústria. Porém, com mais dispositivos, também surgem necessidades de gerenciar cada um deles, as redes e os dados de forma segura, para isso os administradores devem contar com soluções que os ajudem a realizar estes processos.

As soluções e dispositivos de IoT ajudam a melhorar a conectividade nos locais e também facilitam o fluxo dos dados. Tal como o crescimento da IoT alavancou as smart cities, o mesmo acontece nos hotéis, que cada vez mais buscam criar quartos inteligentes para seus hóspedes, permitindo a personalização e conexão dos usuários, ao mesmo tempo em que permitem ao hotel digitalizar e tornar mais eficiente a gestão das suas redes. Com soluções como a Connected entry, para fechaduras wireless de portas, os administradores de hotéis podem utilizar equipamentos de última geração conectados à IoT para acesso aos quartos, para que a segurança da sua organização seja mais fácil de gerenciar.

Wi-Fi poderoso para os desafios do presente e do futuro

Sem dúvida, uma boa conectividade no hotel não garante só a satisfação do cliente, mas o processamento dos dados da rede e dos usuários. Com um Wi-Fi em boas condições, os aplicativos conectados aos hotéis recebem informação confiável sobre o hóspede, sem interrupções. E uma boa conexão de Wi-Fi já é determinante para que uma pessoa escolha ou não se hospedar em um hotel. Pesquisa feita pelo site de acomodações Booking.com mostra que para 50% dos viajantes brasileiros entrevistados a conexão à internet é um item essencial na hora de escolher um hotel, superando inclusive itens como frigobar (apontado por 46% dos respondentes), piscina (39%) e restaurante (35%).

Devido à alta demanda de rede IP, tornou-se imprescindível contar com soluções que ofereçam capacidade para otimizar as redes hoteleiras, com robustez e estabilidade. Tecnologias como Wi-Fi 6 ajudam não apenas a coletar a informação e manter o funcionamento adequado de portas automáticas ou o acionamento do ar-condicionado, mas também oferecem ao hóspede a segurança e confiança de poder estar conectado a uma rede de grande velocidade, a qualquer momento e lugar do hotel e assim poder compartilhar sua experiência, o que é primordial na era digital.

A experiência dos hóspedes será primordial na reativação econômica do setor hoteleiro, já que as pessoas estão começando a viajar mais, porém sempre com a confiança de viajar seguros. Neste sentido, é fundamental que estas e outras tendências sejam consideradas pelos donos de hotéis, bem como pelos provedores de serviços, na tentativa de fornecer estadas completas, com conectividade e segurança.

Esteban Hernández, responsável na CommScope pelas áreas de hotelaria e provedores de serviço da CommSope no México.

Deixe seu comentário