Os 3Cs: o que são e por que são a chave para o sucesso digital das empresas

0
5

A indústria tecnológica foi a espinha dorsal das transformações nas organizações durante a pandemia. Em termos gerais, essas mudanças decorreram de três áreas significativas: COVID, cibercriminosos e "cloud", ou "nuvem", como é comumente traduzido o ambiente virtual de dados. Os 3Cs foram e continuam sendo a chave do sucesso.

Por que a COVID? As equipes de TI tiveram que facilitar uma ampla gama de interações on-line entre empresas, clientes, parceiros e funcionários no contexto de restrições de mobilidade. Daí o segundo "C": os cibercriminosos, uma vez que as ameaças digitais se multiplicaram. Como consequência, surge o terceiro C, cloud. A nuvem é crítica para a escalabilidade da infraestrutura de TI para capacitar o trabalho remoto e manter a estabilidade conforme as operações mudam para um ambiente híbrido.

Com muitas empresas no caminho da recuperação, os "três Cs" da pandemia agora abrem novas oportunidades para as empresas inteligentes.

Novas formas de interação on-line

A pandemia resultou em muitas organizações tendo que levar interações do mundo real para o espaço digital. Isso acontece principalmente de três maneiras: primeiro, oferecendo novos canais de vendas e atendimento ao cliente. Segundo, com portais internos de trabalho, distribuição de tarefas e informações da empresa. Por último, facilitando o relacionamento com os parceiros e aumentando sua capacidade de gestão.

A área de TI não apenas ajuda a criar essas novas vias de interação, mas também deve garantir que elas tenham escalabilidade, tanto em termos de desempenho e disponibilidade, quanto pela multiplicidade de canais.

As plataformas de experiência digital, especialmente aquelas baseadas na nuvem, permitem que a organização cuide do negócio enquanto procura meios alternativos para atrair clientes, parceiros e funcionários. Dessa forma, a TI tem flexibilidade para se concentrar em suas atividades principais enquanto acelera a empresa no caminho da maturidade digital.

Segurança para capacitar os funcionários

Como em uma simulação de incêndio massiva, toda a força de trabalho foi transferida para sua casa. Às ameaças de segurança habituais, foi necessário adicionar novos desafios devido ao ambiente virtual e aos problemas de implementações rápidas de soluções remotas.

Olhando para o futuro, parece que o trabalho remoto está se tornando o novo padrão. Segundo pesquisa da Tessian, quase um terço dos funcionários afirma que não trabalhará para uma empresa que não oferece flexibilidade. Portanto, a TI deve redobrar seus esforços para criar um ambiente seguro, independentemente de onde eles acessam os serviços e sistemas.

O formato de escritório híbrido torna mais urgente monitorar firewalls, VPNs e outras infraestruturas. Da mesma forma, o aumento da demanda de largura de banda no ano passado colocou em risco as redes que não foram originalmente projetadas para isso. Ser capaz de identificar e solucionar esses problemas diferencia empresas eficientes pela acessibilidade permanente das demais, menos produtivas.

A mudança também tornou as pessoas mais distraídas com a sobreposição da vida pessoal com o ambiente de trabalho. Essa redução na atenção leva a menos conformidade com os processos de segurança. Nesse sentido, as soluções de transferência gerenciada de arquivos são uma grande vantagem. Ao fornecer uma solução de compartilhamento de arquivos flexível e criptografada que pode ser implantada em vários fluxos de trabalho, as equipes de TI reduzem o risco de erro humano e evitam que os dados caiam nas mãos erradas.

Melhor entrega de serviço, escalabilidade e inovação com a nuvem

A nuvem é crítica porque permite o acesso a qualquer hora e em qualquer lugar aos serviços e sistemas que conduzem a interações digitais eficazes. O trabalho híbrido e a maior demanda por presença digital enfatizam a urgência de serviços externos que sejam escaláveis, seguros, confiáveis e econômicos. De fato, a Forrester estima que os gastos com nuvem aumentarão para US$ 120 bilhões em 2021, à medida em que as empresas continuam a lidar com a ruptura digital e a empregar estratégias de transformação digital.

A complexidade das cargas de trabalho continua a aumentar, exigindo que as aplicações mais complexas sejam executadas adequadamente em plataformas na nuvem. À medida que o negócio evolui, elas continuarão exigindo foco nas modificações das aplicações e na modernização para a nuvem.

Do novo normal ao normal

No ano passado, as equipes de TI se concentraram em apoiar seus negócios para responder a um "novo normal". Agora que nos ajustamos e nos adaptamos, 2021 apresenta a oportunidade de se perguntar o que vem a seguir. Se a atenção continua nos "três Cs", será mais fácil lidar com as frequentes mudanças de expectativas do cenário empresarial.

Francisco Larez, vice-presidente de Vendas da Progress para América Latina.

Deixe seu comentário