Com capital inicial de R$ 100 milhões, Pierre Schurmann lança grupo de startups de SaaS

Nova empresa planeja atrair, até o final de 2020, entre 40 a 70 startups, que também terão participação societária no grupo

1
90

Depois de fundar a Bossa Nova Investimentos e transformá-la numa das maiores investidoras de startups da América Latina, com um portfólio de mais de 400 investimentos em três anos, o empresário Pierre Schurmann amplia sua atuação no mercado de tecnologia e Internet e anuncia a criação da Keiretsu Software, grupo de empresas de SaaS (Software as a Service) que nasce com capital inicial de R$ 100 milhões para adquirir negócios em franco crescimento e com alta escalabilidade.

Schurmann conta que na nova empresa os fundadores manterão uma participação nas startups adquiridas e se tornarão também acionistas da Keiretsu Software. O modelo se espelha na proposta criada pela Constellation Software, grupo canadense de capital aberto de mais de 250 empresas e cuja ação se valorizou mais de 3000% desde o IPO.

A Keiretsu Software vai analisar somente empresas de SaaS e planeja fechar a aquisição de entre 40 a 70 startups até o final de 2020 que somem faturamento de R$ 100 milhões. Outros critérios são negócios que tenham pelo menos 2 anos em operação, faturem entre R$ 2 milhões e R$ 10 milhões e não tenham ainda recebido investimentos de fundos. Até o final de 2025, a previsão é atingir receita total de R$ 1 bilhão proveniente do seu portfólio de empresas.

Pierre Schurmann está entre os empresários que inauguraram o mercado de Internet no Brasil. Em 1997, foi co-fundador do Zeek!, site de busca adquirido um ano após seu lançamento pela StarMedia, empresa em que assumiu a Diretoria de Novos Negócios. Em seguida, foi co-fundador e vice-presidente da Ideia.com, co-fundador e CEO da Conectis Experience Marketing, do Experience Club e da Bossa Nova Investimentos, que se tornou a maior investidora de startups da América Latina e tem como sócios os empresários João Kepler, Thiago Oliveira e o Grupo BMG.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário