Especialista em backup e recuperação de dados, Commvault apresenta principais tendências de dados para 2021

1
72


O ano de 2020 trouxe muitos desafios para a sociedade em todo o mundo e, com as empresas, não foi diretente. A pandemia de COVID-19 afetou nossa saúde, física e mental, mas também a estrutura de trabalho das pessoas. A área de TI, em especial, teve que lidar com situações inesperadas, todas ao mesmo tempo. Colaboradores trabalhando em home office; aumento de cyberataques, em virtude da maior exposição ao risco; migração de grande volume de dados para a nuvem, accelerando a transformação digital e elevando custos. Bruno Lobo, General Manager da Commvault para Latam, listou alguns desafios que serão tendência em gerenciamento de dados para 2021.

Deep Fake

A Inteligência Artificial se desenvolveu a tal ponto que as deep fake podem produzir imagens e vídeos realistas de pessoas fazendo coisas que nunca fizeram. Essas tecnologias podem ser usadas para diversão, mas também representam um risco, pois dificultam com que as empresas consigam garantir que suas imagens, vídeos e outros fluxos de dados não tenham sido secretamente manipulados pela IA. Para empresas que tomam decisões importantes com base nesses dados, o risco de tomar uma decisão errada depois de ser enganado por uma deep fake, ou outros dados manipulados, aumenta a cada dia. Para reduzir esse risco, a tendência é que em 2021 seja exigida a integridade de dados e soluções de verificação que lhes permitam detectar imagens, vídeo e outros fluxos de dados alterados pela IA. E, em resposta a essa demanda, os líderes de TI e as startups devem apresentar novas soluções de integridade e verificação de dados que evitem com que essas empresas sejam enganadas por deep fake.

Reestruturação de aplicativos para a nuvem

A COVID-19 forçou muitas organizações a acelerar seus planos de adoção da nuvem. Durante a pandemia, elas precisaram da escalabilidade da nuvem para atender à demanda crescente de negócios e consumidores por serviços digitais. Ao mesmo tempo, foi necessário terceirizar o gerenciamento de computação, armazenamento e outras infraestruturas para service providers na nuvem, permitindo que suas equipes de TI ficassem fora de seus escritórios ou data centers, concentrando-se no gerenciamento dos aplicativos essenciais aos negócios. No entanto, essas empresas agora estão vendo seus orçamentos operacionais serem afetados pelos services providers em nuvem que hospedam aplicativos projetados para infraestrutura local. Em anos anteriores, víamos uma abordagem boomerang para esses custos elevados, com as empresas mudando rapidamente seus aplicativos e workloads de volta para a infraestrutura local, depois que sua necessidade imediata de hospedagem de aplicativos em nuvem tivesse sido solucionada. No entanto, se não estava claro antes, a COVID-19 demonstrou que é difícil combinar a flexibilidade, escalabilidade e outros benefícios da nuvem. Por isso, a expectativa é que as organizações de TI façam da reorganização de seus aplicativos e workloads em formatos nativos da nuvem uma de suas principais prioridades de transformação digital em 2021.

DevOps: os novos super herois da economia pós COVID-19

A área de DevOps foi tratada, até então, por executivos C level como um mero ajudante. No entanto, uma vez que a COVID-19 colocou a transformação digital da economia mundial em alta, esses mesmos executivos estão, cada vez mais, percebendo que os serviços digitais representam seu principal negócio. Como a força motriz por trás desses serviços, eles veem o sucesso ou o fracasso de suas organizações dependendo se suas equipes de DevOps podem fornecer a seus clientes e outras partes interessadas os serviços digitais que desejam, no momento certo. Eles não esperam mais que o DevOps seja um ajudante, mas sim um super-heroi. As organizações, cujas equipes de DevOps podem passar de Robin a Batman e enfrentar este desafio estarão prontas para ter sucesso na próxima década em nossa nova economia, pós-COVID-19.

O desafio da gravidade dos dados: funcionários trabalhando de suas casas

A COVID-19 escancarou os desafios de gravidade de dados nas empresas. Mesmo se a pandemia diminuir, uma força de trabalho muito mais distribuída veio para ficar e, com isso, haverá mais dados distribuídos. Tal situação aumenta o problema de gravidade dos dados existentes nas empresas, pois desejam mover seus aplicativos e workloads para a nuvem pública, mas a gravidade dos dados na infraestrutura local existente torna isso difícil. Em 2021, devemos presenciar uma onda de investimentos corporativos em tecnologias e serviços que permitam enfrentar este desafio. Por exemplo, a demanda corporativa ajudará a impulsionar o crescimento de novas tecnologias com 5G, que permitem às empresas garantir que a conexão entre seus dados e suas nuvens seja rápida, responsiva, confiável e segura. Além disso, esperamos ver uma maior adoção de Backup as a Service (BaaS) e outras soluções de gerenciamento de dados inteligentes que permitem às empresas mover muitos dos dados locais e encontrados nos laptops dos funcionários para a nuvem, ao mesmo tempo que fornecem a capacidade de proteger, governar e de outra forma controlar os dados distribuídos.

Ransomwares aumentam a demanda por segurança integrada e backup de dados

Em abril, a Divisão Cibernética do FBI citou um aumento de 400% nas reclamações de ataques cibernéticos de níveis pré-coronavírus, com até 4 mil ocorrências por dia. Esse aumento nos ataques não surpreende. Nesse cenário, com as empresas migrando rapidamente seus aplicativos locais para a nuvem e muitos funcionários trabalhando de casa por meio de redes inseguras, as empresas expuseram a fragilidade de seus sistemas de segurança aos cibercriminosos. Para combater essa ameaça, em 2021 as empresas devem implementar rapidamente estratégias de defesa que usam uma combinação de detecção de ataques, segurança e backup de dados para evitar e se recuperar rapidamente de um crescente número de ransomware sofisticado, e outros ataques cibernéticos. Firewalls e outras tecnologias de segurança autônomas são essenciais para qualquer estratégia de defesa, mas não são suficientes. As empresas também devem garantir que a segurança esteja embutida em seus aplicativos. Essa segurança integrada fornece outra camada de segurança e também aproxima as tecnologias de segurança dos dados que ela deve proteger. Além disso, as empresas aumentarão a adoção de novas soluções de Backup as a Service (BaaS), realizando backup de seus dados primários de nuvem, no local e de endpoint para um serviço de nuvem air-gapped. Tal camada adicional de proteção fornece às empresas uma cópia secundária imaculada de seus dados primários, que podem ser restaurados se um ataque cibernético encontrar uma brecha. Com esses três elementos em vigor e trabalhando juntos – detecção de ameaças, segurança de dados e backup de dados – as empresas podem sair ilesas.

Dark Data iluminados

Durante anos, as empresas vêm acumulando grande quantidade de Dark Data – dados com backup ou arquivados para fins de retenção ou conformidade que permanecem silenciosos, não utilizados e, às vezes, completamente esquecidos. No entanto, à medida que os mercados ficam mais "lotados" e as empresas perceberam a necessidade de se diferenciar ainda mais de seus concorrentes, aumentou a necessidade de iluminar esses dark data para obter insights que podem melhorar os resultados de negócios. Algumas possibilidades de insights a partir da iluminação de dark data envolvem reduzir custos operacionais, otimizar o armazenamento dos mesmos, como desenvolver mais serviços digitais atraentes para clientes, oferecendo maior vantagem competitiva.

Plano de Continuidade de Negócios para combater Ataques de Ransomware

Os recentes ataques de ransomware em hospitais que interromperam os tratamentos de radiação para alguns pacientes com câncer demonstram que é impossível que as soluções de segurança sejam 100% eficazes. À medida que as organizações, finalmente, percebem que nenhum sistema de segurança é perfeito, elas se perguntam não o que farão se um ransomware ou outro ataque cibernético bloquear ou destruir seus dados, mas quando irá acontecer. A resposta a esta pergunta é: tenha um plano de continuidade de negócios em vigor que contabilize um ransomware ou outro ataque cibernético, permitindo que a organização se recupere rapidamente, de modo que qualquer interrupção em suas operações seja mínima. Em 2021, esperamos ver as organizações começarem a trabalhar para garantir que tenham os processos de continuidade de negócios e as soluções de disaster recovery de que precisam para se recuperar rapidamente, não apenas de desastres naturais, mas também de ciberataques maliciosos.

Vivemos em um mundo SaaS

Embora os executivos C level vejam, cada vez mais, os serviços digitais como essenciais para o sucesso de suas organizações, a maioria entende a compra e o gerenciamento de infraestrutura e aplicativos de TI locais como atividades não geradoras de receita, fora de suas competências principais. Como resultado, hoje em dia, seja você um CIO em uma empresa financeira global, líder de TI em uma empresa de médio porte ou apenas gerenciando TI para uma pequena empresa, é provável que já tenha ou esteja tentando encontrar uma solução SaaS para Recursos Humanos, Planejamento de Recursos Corporativos ou outros aplicativos de negócios. Em 2021, provavelmente veremos um forte crescimento contínuo de soluções SaaS, incluindo gerenciamento de dados que podem atender às necessidades gerais de negócios e liberar os clientes da solução para se concentrarem no núcleo de serviços digitais para seus negócios. 2021 demonstrará, de uma vez por todas, que estamos vivendo em um mundo SaaS.

Gerenciamento Inteligente de Dados de Endpoints: prioridade para a TI

Apesar dos inegáveis benefícios do home office, impulsionado pela pandemia, uma desvantagem enfrentada pelas empresas está no fato de não conseguir controla a proteção de dados, conformidade regulamentar de privacidade de dados e outros aspectos de gerenciamento de dados se comparado a quando os funcionários conectam seus laptops à rede corporativa de seus escritórios. Ao mesmo tempo, o ransomware e outros ataques cibernéticos estão aumentando, enquanto os governos estão implementando e aplicando regulamentos de privacidade de dados mais rígidos. Por isso, espera-se que em 2021 mais empresas implantem soluções que lhes permitam proteger, controlar e gerenciar de forma inteligente os dados nos laptops de seus funcionários, assim como outros endpoints. Em particular, devemos presenciar o crescimento de soluções de gerenciamento de dados inteligentes que usam IA e tecnologias semelhantes. Assim, é possível detectar comportamentos anômalos, indicando um ataque de ransomware ou informações privadas do cliente armazenadas em um lugar ou maneira que não deveria estar, permitindo que as empresas eliminem o ransomware, a privacidade de dados e problemas semelhantes de gerenciamento de dados pela raiz.

Crescimento do Mercado de Contêineres

A agilidade que os contêineres fornecem às organizações que tentam acelerar sua mudança para a nuvem continuará a alimentar a demanda por aplicativos baseados nessa tecnologia. Ao usar contêineres para tornar seus aplicativos nativos na nuvem, as empresas podem melhorar a escalabilidade e o desempenho dos mesmos e move-los com mais facilidade entre diferentes nuvens, ajudando-as a acelerar suas iniciativas de transformação digital.

Otimizar Gastos com Nuvem

À medida que as despesas crescentes com serviços na nuvem afetam os orçamentos de TI das organizações, a tendência para 2021 é vermos os departamentos de TI lutarem para encontrar maneiras de otimizar seus custos com a nuvem. Esses esforços, provavelmente, incluirão arbitragem de nuvem, o que significa que as empresas tentarão encontrar o provedor de nuvem de custo mais baixo, capaz de fornecer os SLAs e outros recursos de desempenho de que precisam para um workload específico. A arbitragem em nuvem, por sua vez, aumentará o interesse em soluções que permitam às empresas mover dados facilmente entre diferentes nuvens. Além disso, as empresas adotarão soluções de gerenciamento de dados inteligentes que lhes permitam analisar e monitorar os dados armazenados em multi cloud com um pente fino. Com os insights fornecidos por essas soluções, essas empresas serão capazes de mover dados menos críticos ou usados para camadas de armazenamento em nuvem de custo mais baixo ou simplesmente excluir os dados se não forem necessários, permitindo-lhes reduzir suas despesas com serviços de nuvem.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário