Razões para fazer a rearquitetura na nuvem

0
0

Quando se pensa em implantar aplicativos na nuvem — ou cloud computing —, o que vem à mente? Provavelmente aplicativos da web, aplicativos móveis para colaboração e também e-mails. Mas também é possível utilizar os benefícios da nuvem para migrar suas aplicações mais importantes, aquelas que fazem o trabalho pesado, como faturamento, estoque e gestão de dados e de sinistros, entre outras. E além da nuvem, modernizá-los, aplicando ferramentas de re-hosting e rearquitetura.

Com a maturidade dos serviços em nuvem a exemplo do IaaS (infraestrutura como serviço) e PaaS (plataforma como serviço), muitas empresas estão movendo os aplicativos legados para a nuvem, de forma segura, para que possam aproveitar os benefícios desse ambiente virtual, que permite ser acessado de qualquer dispositivo e local. E como esses aplicativos, originalmente criados para plataformas de legado, podem aproveitar os recursos da nuvem?

Movendo aplicações para a nuvem

Se um aplicativo legado já não proporciona mais vantagem competitiva, já está incorporado à rotina dos processos, pode-se optar por substituir sua funcionalidade por ofertas de software como serviço (SaaS), como Salesforce e SAP OnDemand, que permitem ampla funcionalidade e estão em constante evolução. No entanto, para aqueles aplicativos fundamentais, que ainda são estratégicos e exclusivos para a organização, o mais adequado é optar pela modernização, utilizando recursos de re-hosting e rearquitetura.

O re-hosting, muitas vezes visto como uma maneira rápida de reduzir custos operacionais e aumentar a acessibilidade, consiste em utilizar um ambiente de legado existente, de um ambiente proprietário baseado em mainframe ou Unix, e recolocá-lo em uma plataforma física ou na nuvem. O re-hosting resulta na computação com maior eficiência de custo e agilidade num ambiente convergente e simplificado de TI, oferecido pela IaaS.

Se o seu aplicativo legado contém uma lógica de negócio valiosa, mas restringe a agilidade do seu negócio por sua natureza monolítica, a rearquitetura pode ser o caminho mais correto. Também conhecido como modernização de aplicação, ele reescreve as aplicações legadas em estruturas modernas, como Java .Net e PaaS, ao mesmo tempo em que mantém os diferenciais de negócios atuais. Isso pode ajudar o seu negócio a se tornar mais ágil pela simplificação dos códigos, criando aplicações mais responsivas e resilientes, e também integrando ambientes isolados.

Com a modernização, você vai além dos benefícios palpáveis na sua rentabilidade e aumento de acessibilidade. A rearquitetura capacita-o a utiizar a nuvem como um agente de mudança e ajudar a transformar como o seu negócio interage com os clientes.

Do monolítico ao modular

Com a rearquitetura você está migrando suas aplicações legadas para uma plataforma mais moderna, enquanto mantém os diferenciais atuais do negócio. Assim, enquanto as funcionalidades básicas permanecem as mesmas, a aplicação é modernizada para tirar o máximo proveito das características de nuvem, como elasticidade, multi-tenancy (locação múltipla) e interdependência de plataformas.

Além disso, quando se utiliza a rearquitetura com a nuvem, você pode criar componentes separados com perfis workload distintos. Por exemplo, para os processos on-line, para processos batch e para interfaces de sistema, para integrar-se com o resto do portfólio.

Um aplicativo rearquitetado para a nuvem pode proporcionar, simultaneamente, maior resiliência e escalabilidade. A dissociação entre a interface do usuário e a arquitetura da aplicação, por exemplo, permite que os serviços de negócios sejam acessíveis por uma variedade de interfaces de usuário como celulares, tablets e notebooks. Ter esses serviços na nuvem também pode mitigar qualquer risco que resulte do aumento do volume, quando vários usuários acessam a funcionalidade. Esta arquitetura em nuvem modular e flexível dará ao seu negócio maior agilidade, flexibilidade, escalabilidade e possibilitará maior inovação.

A rearquitetura com a tecnologia de nuvem também pode ajudar sua empresa a ser mais eficiente, ao gerenciar rotinas diferenciadas de trabalho como o BYOD (bring your own device, ou traga seu próprio dispositivo), além da utilização de volumes de dados cada vez mais crescentes. O aumento de regulamentações e o crescimento rápido de dados em todos os setores estão levando muitas organizações com perfil inovador a analisar formas mais eficazes de aproveitar os dados. A capacidade de analisar e agir rapidamente sobre a informação pode oferecer uma vantagem bastante competitiva para as empresas.

Com rearquitetura na nuvem, é possível atribuir a ferramenta de tecnologia certa para o trabalho, sem reinventar a roda. A rearquitetura é um método abrangente de modernização de legado que permite que seu negócio utilize a nuvem como um ponto de partida para reenergizar e reorientar seu planejamento estratégico e adequar sua empresa para as necessidades do presente e do futuro para enfrentar um aumento de demanda, que requer otimização sempre. Experimente e comprove a eficácia dessas inovações tecnológicas.

*Henrique Sei é diretor de soluções da Dell Brasil.

Deixe seu comentário