Pesquisa revela que profissionais de TI admitem que mantêm fotos e documentos comprometedores no celular

0
0

Um estudo realizado pela ESET – fornecedora de soluções de segurança da informação – identificou que os profissionais de TI não tomam o devido cuidado com os dados e imagens armazenadas em seus dispositivos móveis. Segundo o levantamento, 39% dos profissionais consultados confessaram que se perdessem o smartphones poderiam ter problemas com fotos, selfies e informações comprometedoras disponíveis no equipamento.

A pesquisa, realizada no evento IPEXPO, com 500 profissionais de TI do Reino Unido, também revelou que 46% dos entrevistados admitiram que se eles perdessem os celulares usados para trabalho e cibercriminosos conseguissem acessar os dados do equipamento, a empresa na qual trabalham correria uma série de riscos.

"Essa pesquisa confirma que, apesar da ampla divulgação de problemas ocorridos por conta do vazamento de fotos e documentos armazenados em celulares, nem mesmo os profissionais de TI – que supostamente deveriam ter uma preocupação redobrada com a segurança da informação – tomam o devido cuidado com esses equipamentos", afirma Camillo Di Jorge, country manager da ESET Brasil. "A recomendação é que as pessoas não armazenem documentos ou imagens comprometedoras ou confidenciais nesse tipo de equipamento, uma vez em que o celular está mais suscetível a roubo, furto e perda. Além disso, deve-se sempre usar uma senha forte para evitar o acesso não autorizado às informações armazenadas", acrescenta.

Outros dados preocupantes revelados por essa pesquisa, é que embora a maioria dos entrevistados admita armazenar dados comprometedores em seus celulares, 22% não contam com uma forma de apagar esses dados remotamente, em caso de perda, roubo ou furto.

Deixe seu comentário