Em nova investida, Carl Icahn agora quer que eBay venda 20% do PayPal em IPO

0
20

Depois de pressionar o eBay para que faça o spin-off (separação) do PayPal, sob o argumento que unidade está subavaliada sendo parte do site de leilões, o megainvestidor ativista Carl Icahn defendeu nesta quarta-feira, 20, que a empresa venda 20% do serviço de pagamentos por meio de uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

A proposta foi feita através de mais uma de suas famosas cartas abertas aos acionistas, lançada estrategicamente às vésperas da assembleia anual de acionistas, marcada para maio próximo. Nas últimas semanas, Icahn enviou uma série de cartas abertas com críticas ao CEO do eBay, John Donahoe, ao Conselho de Administração e à governança corporativa da empresa.

Mas Donahoe contra-atacou e na semana passada deu uma série de entrevistas à imprensa procurando mostrar aos acionistas os prejuízos da cisão do serviço de pagamentos, que no ano passado contribuiu com 42% da receita total da empresa, que foi de US$ 16 bilhões.

"A venda de apenas uma parte do PayPal traria os benefícios de uma operação independente, ao mesmo tempo em que manteria as eficiências de ter o eBay e o PayPal juntos", escreveu Icahn na carta aberta aos acionistas. E acrescentou: "Antes que a transação seja consumada, as empresas poderiam fazer um acordo de longo prazo, por meio de um contrato comercialmente viável, preservando todas as suas sinergias".

Icahn frisou que esse tipo de relação é habitual em IPOs parciais e seria particularmente importante para o eBay, pois atualmente, fora do PayPal, não existe uma solução global de processamento de pagamentos competente o suficiente para atender aos usuários do eBay.

O comitê de diretores do eBay, por seu lado, emitiu comunicado, em tom irônico. "A separação parcial da PayPal não é uma idéia nova, e estamos contentes de ver que o Sr. Icahn agora parece concordar que uma separação completa do PayPal não é uma boa idéia". "Mas hoje, PayPal e eBay são melhores juntos", finaliza o texto. Com informações de agências internacionais.

Deixe seu comentário