Investimento em fibra ótica deve triplicar com nova linha de crédito, prevê Minicom

2
0

Pequenos e médios provedores de internet que atuam no Brasil deverão investir até R$ 3 bilhões em redes de fibra ótica somente neste ano — o triplo do investido no ano passado, que ficou em cerca de R$ 1 bilhão. A projeção é do Ministério das Comunicações, que aponta como principal fator para esse impulso a inclusão da fibra ótica no Finame, linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltada para a aquisição de máquinas e equipamentos nacionais. A medida deve melhorar a qualidade da internet nas cidades do interior do país.

De acordo com o diretor de Banda Larga do Minicom, Artur Coimbra, os pequenos e médios provedores de internet devem ser os mais beneficiados. Eles atuam em localidades menos atrativas para as grandes empresas e estão substituindo a tecnologia de rádio e investindo em fibra ótica, que é mais moderna e durável. "O usuário que reside no interior vai ter acesso a uma infraestrutura do mesmo porte da que se tem nos grandes centros", pontua.

O financiamento da fibra ótica e melhores condições de pagamento eram antigas reivindicações dos provedores. A tecnologia representa cerca de 20% do valor final de um projeto para levar banda larga até as residências. Segundo Coimbra, houve todo um esforço do ministério para que essa tecnologia passasse a ser financiada pelo banco. "Por orientação do ministro Paulo Bernardo, que encabeçou essa proposta, nós fizemos reuniões técnicas com o BNDES, que constatou a viabilidade de inclusão da fibra ótica no Finame", destaca.

Condições do financiamento

Financiamentos contratados por meio do Finame têm taxa de juros anuais de 4% para produtos com tecnologia nacional e 4,5% para produtos com tecnologia importada e Processo Produtivo Básico (PPB) — produção nacional. Financiamentos para produtos com tecnologia nacional podem ser quitados em até 96 meses; para produtos com tecnologia importada, o prazo é de 60 meses.

O Finame é um tipo de financiamento, por intermédio de instituições financeiras credenciadas, para produção e aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados no BNDES.

2 COMENTÁRIOS

    • Não há como precisar a data exata dessas investimentos, pois depende que quando os provedores de internet contratarão o empréstimo do BNDES.

Deixe seu comentário